Como foi Mesa redonda de Hotelaria Hospitalar e Facilities no SENAC

 A mesa-redonda Hotelaria Hospitalar e Facilities, abordou os seguintes temas:
  • Tecnologia Aplicada ao Gerenciamento de Leitos, com Gladys Antonioli – Hospital Santa Catarina,
  • Apresentação do Sistema Voice para Gerenciamento de Leitos com Luiz Roberto de Oliveira (Beto) – Voice Technology
  • Experiência do Cliente com Marcia Caselato – BP – A Beneficência Portuguesa de São Paulo,
  • O Novo Paciente da Saúde com Marina Muto – Hospital Sírio-Libanês
  • A Visualização da “Vida em Movimento” nos Ambientes de Saúde com Lauro Miquelin – L+M Gets
IMG_0211.jpgIldete Maria de Almeida Perezim , Professora e Coordenadora da Pós Graduação em Hotelaria Hospitalar do SENAC (a anfitriã do evento)  fez o papel de mestre de cerimonia,
Fez o discurso inicial sobre o mercado de Hotelaria Hospitalar, da importância da Pós de Hotelaria Hospitalar do SENAC e o prazer de reencontrar todos, principalmente o orgulho de ver seus alunos e ex alunos prestigiando o evento.
Tivemos a honra de sermos representados pelo Sócio Diretor da Voice o Engenheiro Luiz Roberto de Oliveira (Beto).

Beto Voice

 A palestra de Luiz Roberto de Oliveira (Beto) iniciou com uma comparação do Sistema Voice com os recursos utilizados com muito sucesso na Aviação.
Beto ilustrou que alguns processos do Voice são inspirados nos processos da Torre de controle de um aeroporto e as telas de acompanhamento dos leitos usam os mesmos conceitos dos painéis de vôos presentes nas áreas comuns.
Temos um trecho gravado desta comparação:
Beto, explicitou que a adoção de ferramentas tecnológicas devem servir para colaborar com a operação de Hotelaria Hospitalar de forma que esta libere os recursos humanos para cuidar…
Gravamos um trecho da palestra onde Beto mostra a simplicidade da interação com o profissional de limpeza:
Beto mostra que o sistema Voice é acessível ! O reaproveitamento da estrutura telefônica existente nos Hospitais (nos quartos e/ou nos postos) é um fator de viabilidade para qualquer Hospital.
No próximo trecho, é demonstrado o potencial de controle da operação e como fica claro e nítido no painel de acompanhamento o estado de todos os lugares e de todos os funcionários. Quais leitos estão aguardando, quanto tempo leva em cada deslocamento, quanto tempo está cada limpeza e se cada uma esta na meta, chegando perto de estourar o tempo ou se está atrasado. Tudo de forma visual !
Outra palestra que nos orgulhou muito, foi de nossa cliente Gladys Antonieli do Hospital Santa Catarina que teve o tema Tecnologia Aplicada ao Gerenciamento de Leitos,
Segue um rápido trecho do Inicio da palestra de Gladys:
Gladys.jpg
Gladys inicialmente destacou a importância do Treinamento a equipe na operação de Gerenciamento de leitos.
Fez uma rápida comparação entre Hotelaria tradicional com a Hotelaria Hospitalar.
O ambiente de um hotel é de uma previsibilidade grande, já em um Hospital a qualquer momento aparece um paciente, e muitas vezes de situações e lugares não previstos, Pode aparecer um paciente que estava no Centro médico, pode entrar internações emergenciais do pronto atendimento etc.
dsc02056-e1524605666818.jpgDados em sistema ajudam muito a operação.
Gladys comenta de ter em mãos:
  • dados médios do Pronto Atendimento, como conversão de atendimento em internação,
  • o mapa cirúrgico que dá médias a disposição.

Mas comenta que apenas dados como “Em média de …” e que quando um médico liga dizendo que um paciente precisa internar agora, como deixá-lo para fora ? …

Mesmo com dados em mão de previsão de alta. É apenas uma provável alta. Por mais assertivo que os dados sejam, Sempre tem a possibilidade de falha na previsão.
Gravamos quase toda a palestra de Gladys:
Em sua palestra Gladys define:
Calcanhar de Aquiles da hotelaria hospitalar é o Gerenciamento de Leitos
Gladys Antonioli ,
E justifica a importância de ter tecnologia no Gerenciamento de leitos
Outra palestra foi : “Experiência do Cliente” com Marcia Caselato – BP – A Beneficência Portuguesa de São Paulo
marcia bpMarcia destacou muito a Transformação cultural dos ultimos tempos, a evolução de Facilities em um Hospital, a importância da experência da BP em Educação continuada
que se baseia na Experiência do cliente.
O fundamento da Educação continuada e a base da Experiência do cliente Esta no planejamento estratégico da Instituição.
A Experiência do cliente é sempre o alvo. Segundo Márcia a necessidade de Protocolar as ações mas com o cuidado de não robotizar as pessoas. E Importância do acolher e da humanização no atendimento é um dos objetivos do programa da BP.
Em um depoimento dela, as primeiras reações ao primeiro treinamento é: “Porque estou aqui” , mas este mesmo funcionário em um segundo treinamento já identifica pontos e pensa “Isso faz sentido” e que estes mesmos funcionários que passaram pelo 2 anteriores quando termina o terceiro o maior interesse deles é : “Quando será o próximo “

IMG_0195.jpg

A palestra de Marina Muto, do Hospital Sírio Libanês, teve como tema : “O novo paciente da Saúde”

Destacou inicialmente que a saúde não é descolada da economia. que assim como a economia real, o mercado econômico da Saúde também tem sofrido muito.
Fatores como:
  • Aumento de desemprego
  • Diminuição de convênios corporativo
  • Perda de clientes
Tem obrigado aos Hospitais se reinventarem para se adptar:
  • as novas demandas
  • Novos hábitos,
  • Operadoras de saúde
Citou o fato de voltarmos a costumes de mais de 40 anos atrás, devido a imposição do Médico de família pelas operadoras e somente depois distribuir pafra especialistas.

IMG_0237.jpg

Falou bastante também sobre o novo perfil do paciente. A Informação já está na palma da mão do paciente, muitas vezes ele só vai ao médico pegar a prescrição. Muitas dessas vezes o paciente já sabe o que quer!
Atualmente há Sede de informação, antes de ir o paciente quer saber o Tempo de espera? Qual tipo de documento ? etc.
 
Marina, deixou claro que é importante somar a tecnologia a humanização do atendimento e garantir que o acolhimento seja destacado. Definindo : Tecnologia com calor humano.
Importância de se trazer a essência do ser humano , cuidar. Deixar a tecnologia ajudar mas não substituir o atendimento, o olho no olho … Servir para cuidar o ser humano,
Acolhimento ! Pessoas que querem que pessoas atendem
Assim é importante de Cuidar de quem cuida… No Sírio os colaboradores são cuidados dentro do Hospital. Passam na pele como é importante sentir como é ser cuidado

Ildete

A expectativa do novo paciente da saúde
Após o fim da palestra de Marina.
A anfitriã Ildete Perezim, pede a palavra e fala de seu Mestrado que teve o tema ” Hospitalidade e Morte” e aproveita um comentário da Marina sobre a experiência dos concierge de 20 anos com a morte.

Lauro

Lauro iniciou sua palestra com o tema:
A Visualização da
“Vida em Movimento”
nos Ambientes de Saúde
Logo no início tratou um conceito de Melhor estado possível de Bem estar.
O que podemos fazer para devolver ao paciente ao MePoBe ?
Definindo MePoBe :
“melhor estado possível de bem estar” 
mantendo o Sistema de Saúde financeiramente viável enqanto entregamos o MePoBe ?
projetando e controlando os custos nos patamares que a Sociedade aceitar pagar …
Lauro ilustrou bem o MePoBe para diferentes pessoas, usou a imagem de pessoas famosas como esportista Neymar, a modela Gisele Bündchen e o Cientista Steven Hopkins…
Para ilustrar a importância do entendimento dos processos e rotas, apresentou o seguinte vídeo : Vida em movimento

Particpantes da mesa

Gladys Antonioli

gladys
 Pós-graduada em Hotelaria Hospitalar, Administração Hospitalar- Gerenciamento e Gerenciamento de Enfermagem.
Tem MBA em Gestão Financeira.
É coordenadora administrativa do Hospital Santa Catarina.
happy-hour-healthcare-it_ft-mila-cordeiro247.jpg
Engenheiro Eletricista.
Pós-graduado pela Universidade de São Paulo (USP).
Faz parte do grupo de estudos do Hospital 4.0 do Hospital das Clínicas.
Atua na área hospitalar há 15 anos.
Sócio da Voice Technology.
Marcia Caselato
 Graduada em Arquitetura e Urbanismo e pós-graduada em Administração Hoteleira. Tem mais de 20 anos de experiência nas áreas de Hotelaria Hospitalar e Facilities.
Atualmente, é gerente-executiva de Experiência do Cliente em Cuidados Hoteleiros da BP – A Beneficência Portuguesa de São Paulo.

Marina Muto

Especialização em Gestão em Saúde, em Administração de Serviços de Saúde e Administração Hospitalar e MBA em Gestão de Operações, Produtos e Serviços.
Graduada em Enfermagem.
Gerente de Atendimento do Hospital Sírio-Libanês.
lauromiquelin
Arquiteto e PhD em Arquitetura de Edifícios de Saúde. É Diretor de Tecnologias e Obras da L M Gets. Tem mais de 30 anos de experiência na implantação de empreendimentos de saúde. Autor dos livros Anatomia dos Edifícios Hospitalares e UTIs Contemporâneas.

Trechos da mesa

No início o mediador Lauro Miquelin, insere primeiramente o tema capacitação e na melhora dos processos. Com a frase :

Capacitar para ter processos. Para que os processos sejam sem gordura e ao ponto !

Lauro Miquelin

coloca em debate as aplicações de Lean, consagradas na Indústria desde os anos 40 e agora sendo aplicado no ambiente de saúde. Lauro ainda cita que a absorção de tecnologias é baixa nos Hospitais devido ao fato de os processos não estarem aplicados.

No vídeo a seguir temos este trecho gravado, onde o mediador coloca sua “provocação” inicial

Após a provocação inicial, ” Capacitar para amar “, o mediador deu a palavra para Marina e Márcia:

 

Fala de Gladys do Santa Catarina sobre a importância de colocar as pessoas nos lugares certos para garantir o melhor serviço ao paciente

 

 

Hotelaria Hospitalar e Facilities

A hotelaria hospitalar é um dos componentes da moderna gestão hospitalar, que tem como missão gerir uma série de serviços prestados aos pacientes, familiares e a todos os profissionais que trabalham em unidades hospitalares.

A utilização de modelos de gestão de facilities no desenvolvimento desses serviços promove resultados satisfatórios e potencializa a vantagem competitiva da organização. Além dos aspectos de gestão de vários serviços, a hotelaria hospitalar tem como objetivo implantar e ser responsável pela hospitalidade e humanização nos processos de atendimento, atuando muito próxima ao nível estratégico da gestão hospitalar.

Sobre o Senac Aclimação

Endereco: Rua Pires da Mota, 838 – São Paulo – Telefone: 11 3795-1299 – E-mail: aclimacao@sp.senac.br

 

Modelo de gestão do Hospital Moinhos de Vento recebe destaque internacional

Queremos parabenizar o Hospital Moinhos de Vento por mais esta conquista !
É um orgulho para nós poder destacar o avanço de nosso cliente em seu Gerenciamento de leitos. Temos alguns outros registros de outras conquistas do Hospital Moinhos de Vento aqui no Blog:
Com a melhora nos processos focados no fluxo do paciente, o case do Hospital Moinhos de Vento foi destaque em uma das mais representativas organizações internacionais sobre o tema.
Editado pela Lean Global Network, que promove boas práticas de inovação, competitividade e sustentabilidade, o portal Planet Lean detalhou o case da instituição com o sistema Lean.
Adotada desde 2012, a metodologia preconiza a redução das ineficiências e tem favorecido o aumento da disponibilidade de leitos para novos pacientes ao desenvolver e integrar diferentes áreas.
Com a eliminação de gargalos e simplificação de processos, o tempo de reocupação do leito diminuiu 33% entre 2016 e 2017.
Isso permitiu o acesso para cerca de 60 pacientes por mês – um total de 710 no ano.
O aprimoramento no fluxo também ajuda a evitar as restrições de atendimento, ampliando a disponibilidade para a emergência.
“Somos uma organização de 90 anos e tínhamos o desafio de mudar uma cultura que estava arraigada.
Quando houve a percepção dos resultados e as oportunidades de aprendizado que o sistema possibilita, todos entenderam que a mudança era benéfica”.
engenheiro de Inovação e Processos da instituição.
Menos desperdícios e mais eficiência !
Para o superintendente executivo do Hospital Moinhos de Vento, Mohamed Parrini, o reconhecimento reflete o compromisso da instituição com inovação e gestão.
“Nosso planejamento estratégico baseia-se em ensino, medicina de excelência e pesquisa, colocando sempre o paciente no centro de todas as nossas decisões.
Investimos muito em qualidade, seja na área médica, nos processos assistenciais ou nas estruturas para elevar a instituição a um novo patamar”,
Mohamed Parrini
A prioridade é compartilhada por todos: garantir o fluxo dos pacientes.
“É muito importante sermos reconhecidos pela boa gestão e eficiência em uma publicação que é referência no tema e nos coloca junto a empresas de diversos segmentos de vários países”,
conclui Mohamed.

Apenas para ilustração, no vídeo a seguir, compartilhamos um exemplo de fluxo de pacientes em um Hospital:

Fontes:

em 09.03.2018

Palestra de Janaína Reis no II Simpósio de Hotelaria Hospitalar ZM – Ações em Hotelaria Hospitalar

img_8244.jpg

Janaína Reis , Gerente de Hotelaria do Hospital Monte Sinai de Juiz de Fora, palestrou sobre as inovações em Hotelaria Hospitalar as quais colocou em prática em seu hospital. A palestra aconteceu no II Simpósio de Hotelaria Hospitalar da Zona da Mata.

Ela deu grande destaque a automatização do Checklist Hospitalar de leitos com a aplicação que utiliza tablets para a realização desta atividade. Com esta ferramenta Janaína detalhou os seguintes pontos e objetivos:

  • avaliar a conferência de itens de Checklist,
  • verificação das pendências em tempo real,
  • controlar a atividade checklist,
  • controle dos tempos e principalmente das pendências em aberto,
  • Geração de evidências com registro fotográfico,
  • Conferência mais ágil dos dados e visualização em relatórios on line, evitando trabalho de tabulações e verificações manuais,

No vídeo a seguir temos um trecho da palestra onde Janaína explicita bem os pontos acima e também explica como seu operacional está trabalhando com a ferramenta do Checklist.

No Hospital Monte Sinai os profissionais os quais utilizam a ferramenta são as Camareiras. Elas além de “montar o quarto” com a forração de enxoval, também fazem a atividade de revisão, liberação e lacre do leito. E é nestas atividades as quais estão sendo utilizados os tablets e a aplicação de Checklist.

Os padrões de conformidades e desconformidades os quais são aplicados no Checklist para os leitos e quartos, foram definidos em conjunto com a comissão de segurança do paciente e também com a CCIH (Comissão de Controle de Infecção Hospitalar).

O Checklist ajuda na gestão das não conformidades e pendências. Ele possui uma inteligencia embarcada que é determinada por parâmetros definidos pelo Hospital, de quais itens bloqueiam o leito e quais são apenas registrados e tratados pelo gerenciamento do Sistema.

Nenhuma pendência registrada é esquecida, ela fica “viva” ou ativa até o momento o qual algum profissional dá baixa e a revisa. O exemplo dado por Janaína no video anterior é o caso de uma lâmpada queimada, se por acaso não for possível a troca, o leito pode ser liberado ao paciente e em paralelo esta pendência entra nos registros e pode ser gerenciada até o momento da solução. Janaína explica que nestes casos a comunicação com os pacientes é de grande importância, é passado ao paciente e seus acompanhantes da “pendência” e que ela será resolvida mas que isso não impede que o paciente já inicie sua internação o quanto antes.

exemplo de dashboard de checlklist

Exemplo de Dashboard

Janaína afirma também que a aplicação ajuda na evolução dos indicadores de entrega do leito e que a cada dia chega mais perto do indicador de 100% de entrega sem problemas. Ela também mostra o “Dashboard on line” onde ela pode acompanhar o andamento das atividades de Checklist assim como o controle das pendências geradas.

Janaína exemplificou como identifica quais são as principais causas de não entrega de um leito. Segundo ela, antes tinha uma percepção equivocada que os leitos estavam sendo represados devido a manutenção de lâmpadas, mas que o fator que mais estava impactando no Hospital era referente ao item “cadeira do Papai” que é um dos itens padrões de todos os leitos.

Janaína mostrou que em média 8 quartos estavam sendo represados devido ao fato da indisponibilidade deste mobiliário. A partir do registro foi possível apontar o problema, quantificá-lo e ver seu impacto. Para este item não havia manutenção rápida disponível e com os dados foi possível mostrar à direção do Hospital a necessidade de compra adicional para poder liberar os leitos mais rápidos.

Janaína ressaltou que quando mostrou as telas de gerenciamento para sua Diretoria, tudo fluiu mais fácil. Pois o poder das evidências e o registro do impacto como por exemplo: tempo parado dos leitos. Deixaram claro a necessidade era real e quanto estava sendo perdido.

No vídeo a seguir temos uma demonstração que foi feita durante a palestra. Janaína abriu o Gerenciamento on line e mostrou as atividades do dia e inclusive mostrou os registros fotográficos de itens não conformes.

Janaína conseguiu exemplificar bem o controle das pendências e também como seu operacional aderiu a ferramenta. Foi possível mostrar situações reais de identificação dos problemas e das soluções. Em um dos exemplos Janaína mostrou o impacto da implantação de um tipo de janelas no Hospital e o encaminhamento para os ajustes necessários.

No video ficou demonstrado a interação do público do Simpósio e que todas as dúvidas foram atendidas e a realidade da operação do Hospital estava aberta a todos.

No vídeo a seguir Janaína inicia falando do planejamento estratégico e suas ações em Hotelaria Hospitalar no Hospital Monte Sinai.

As metas de Hotelaria Hospitalar apontadas foram:

  • Automação do processamento de roupas,
  • Automação da Higienização Hospitalar,
  • Consolidação do uso do Checklist Hospitalar,
  • Gerenciamento de leitos,
  • Cardápio a lacarte,
  • pré cadastro on line de pacientes,

Já no próximo vídeo, Janaíana Falou da importância de se ter fornecedores parceiros e que além da ação de simples entrega de seus serviços, também ajudam na evolução e maturidade no Gerenciamento Hospitalar.

Ressaltou a importância do modelo de Gestão Hospitalar trazido no evento (II Simpósio de Hotelaria Hospitalar ZM)  por Marcelo Boeger e Elide Gindro Zordan do Hospital Sírio Libanês e o quanto o compartilhamento destes conhecimentos ajudam na evolução de todos os Hospitais da região.

Nós da Voice fomos citados algumas vezes na palestra e somos muito honrados e gratos pelas citações!

img_8275.jpgAo final de sua palestra, Janaína fez questão de chamar todos de sua equipe que estavam presentes, assim como o pessoal da Santa Casa de juiz de Fora, E agradeceu pelo belo trabalho de organização do II Simpósio de Hotelaria Hospitalar da região.

 

Sobre Janaína

janaina reis

Gerente de Hotelaria Hospitalar do Hospital Monte Sinai (Juiz de Fora – MG).
E consultora em Governança Hospitalar e Hoteleira, para promover aos meus clientes resultados financeiros com melhoria na qualidade do seu negócio.

IV Simpósio Carioca de Hotelaria Hospitalar

Acontecerá na cidade do Rio de Janeiro no próximo dia 22 de Setembro o IV Simpósio Carioca de Hotelaria Hospitalar.

Veja a programação:

programaivschh

Inscrições:

  • e-mail: vicepresidencia@sociedadedehotelariaherj.com.br
  • telefone: (24) 9 8123 1694

Valores até dia 22/9

  • hospitais, profissionais ou estudantes associados: Gratuito
  • demais profissionais e estudantes: R$ 100

Local

Auditório FECOMÉRCIO – Rua Marquês de Abrantes, 99 – Flamengo  Rio de Janeiro

rodaperiohh

 

V Jornada Baiana de Hotelaria Hospitalar

No dia 24 de Agosto de 2017, haverá a V Jornada Baiana de Hotelaria Hospitalar.

vjornadabaianahhA Jornada acontecerá em Salvador, no auditório Linus Pauling (Rua Altíno Serbeto de Barros , 119 – Pituba).

Nesta Jornada teremos os seguintes temas:

  • Gestão da Qualidade na Hotelaria Hospitalar,
  • Indicadores na Hotelaria Hospitalar,
  • Gerenciamento de Enxoval e inovações em lavanderias,
  • Gerenciamento de leitos,
  • A equipe multidisciplinar em prol da Hospitalidade

As inscrições poderá ser realizada pelo aplicativo Sympla . Para maiores informações envie um e-mail para: hhbahia@gmail.com ou no telefone  (71) 9 9917 8837HAPPY HOUR HEALTHCARE IT_FT MILA CORDEIRO247

Nosso Engenheiro Luiz Roberto (Beto) será um dos palestrantes e falará sobre tecnologias aplicadas no gerenciamento de leitos.

Também teremos o privilégio de ter a palestra de um de nossos clientes, Marconi Freitas do Hospital Infantil Sabará e o grande destaque será a palestra do Professor Marcelo Boeger.

 

 

Inscrições abertas para a 2° Fórum de Hotelaria Hospitalar do Norte e Nordeste

Acontecerá no dia 16 de Agosto em Recife o II Fórum de Hotelaria Hospitalar do Norte Nordeste, no Centro de Convenções dentro da feira HOSPITALMED, o maior encontro Hospitalar da região Norte-Nordeste, pois reúne em um só local, exposição dos lançamentos e tendências para produtos e serviços do setor, oportunidades de negócios, networking e aperfeiçoamento profissional.

Nos dias de hoje, a hotelaria hospitalar nos oferece grandes desafios, e nesse fórum será abordado temos de Controles para combate a desperdícios e aumento de eficiência operacional.

Aproveite o desconto e faça sua inscrição antecipadamente.

Este ano teremos 5 palestras – sendo três estudos de caso de grandes hospitais, debate sobre controle e evasão de enxoval, gestão da higiene e manutenção predial – com foco na eficiência operacional e na redução de desperdícios na Hotelaria Hospitalar.

A Programação do evento é a seguinte:

  1. Fraudes, sabotagens e o ambiente de controle na hotelaria
    Prof. Marcelo Boeger – Sócio da Hospitallidade Consultoria e Coordenador do curso de pós graduação de Hotelaria Hospitalar do Hospital Albert Einstein.
    Moderador: Sr. Mauricio Almendro – Diretor da Divisão Saúde – Grupo Verzani & Sandrini
  2. O papel da hotelaria na gestão de água e energia – Estudo de casos múltiplos em hospitais
    Sr. Wagner Carvalho – CEO da Wenergy
    Sr. Alexandre Eduardo de Moura Accioly – Estudo de Caso Hospital Alvorada
    Moderador: Prof. Marcelo Boeger -Sócio da Hospitallidade Consultoria
  3. Controles para combate de desperdícios e aumento de eciência nos hospitais HAPVIDA
    Sra. Andrea Lima Barroso: Diretora Corporativa de Hotelaria (HAP VIDA)
    Moderador: Sr. Fabio Torres – Diretor da MRC Enxoval
  4. Gestão, distribuição e evasão. Utilização de App e RFID no controle do enxoval – Simulação com roupas, notebook, smartphone e leitores.
    Sr. Cassio Martucci – CEO da IDTRACK
    Moderador: Prof. Fabio Torres – Diretor da MRC Enxoval
  5. Ações do Hospital Albert Einstein no aumento da eciência e combate a desperdícios
    Sra. Ana Paula Araújo – Coordenadora de Facilities do Hospital Israelita Albert Einstein e Professora do curso de pós graduação de Hotelaria Hospitalar do Hospital Israelita Albert Einstein.
    Moderador: Prof. Marcelo Boeger – Sócio da Hospitallidade Consultoria

Tecnologia para os Hospitais da Rede SUS! O porquê não ?

É recorrente a pergunta de como viabilizar nossa tecnologia em Hospitais Públicos ou aqueles não públicos mas que atendem a Rede SUS.

Por este motivo escrevemos este post com algumas observações que poderão ajudar na evolução  dos projetos.

Aqui no Blog, já falamos um pouco sobre este assunto no Post: O Desafio de implantar tecnologias novas nos Hospitais Públicos.

Um dos benefícios mais críticos de quando aplicamos nossos produtos, é a garantia de trabalhar em dados reais.

Como utilizamos registro eletrônico e on line das atividades e em neste momento já indicamos a próxima atividade e medimos cada passo. Garantimos que a informação é real.

Fazendo uma analogia com a atividade de dirigir um carro.

Sem a tecnologia É como dirigir sem painel.

  • Sem saber se o carro tem gasolina, a operação pode parar a qualquer momento por falta de “combustível’ ;
  • sem saber qual a temperatura, pode-se extrapolar e fundir o motor …
  • Sem saber a velocidade, com certeza haverá muitas multas ou situações de perigo…
  • Sem saber o desempenho de consumo, haverá desperdícios …

Sem nossa tecnologia nas atividades de gerenciamento de leitos, transporte, controle da montagem das salas cirúrgicas, nas checagens de ambiente …

Os gestores dirigem no escuro!

Ter uma operação mais enxuta e com desempenho otimizado não pode ser considerado luxo.

No Gerenciamento de Leitos

A eficiência necessária nos hospitais, só será atingida com o auxilio de tecnologia. Assim garantir que o desempenho da operação esteja sempre na capacidade máxima de atendimento.

Uma afirmação que podemos fazer aos Hospitais que não usam nossa tecnologia no Gerenciamento de leitos, é que se o Gerenciamento de leitos está bom, com certeza está sendo feito da maneira mais cara. E hoje em dia ser dispendioso e ter operações onerosas é um desperdício cruel.

As ferramentas tecnológicas ajudam na transparência. Um fator de sucesso de nossos projeto é a publicidade interna dos dados. É comum chegarmos em nossos clientes e o desempenho do trabalho está on line em uma(ou mais) tela de TV na parede.

O simples fato de dar publicidade a dados de desempenho do trabalho, provoca um ajuste mútuo na equipe. Na tela a seguir temos um exemplo de acompanhamento on line do processo de higienização dos leitos, da para visualizar o status de cada leito, em qual etapa ele se encontra, quem está trabalhando nele e quais são os tempos …

Em cada etapa do processo. É definido metas! os leitos os quais estão hachurados em verde é que estão dentro da meta, os em amarelo estão em atenção e os em vermelho já extrapolaram a meta. Com estes alarmes é possível identificar assim que aparecem os gargalos e agir !

painel

No post, O Papel da Hotelaria Hospitalar na Gestão de Leitos, ilustramos bem o poder deste controle e fazemos uma comparação com painéis de um Aeroporto.

Outro ponto decisivo, é a otimização dos recursos.

Nos casos de mão de obra terceirizada:  Como as alocações são dinâmicas e em tempo real, é possível averiguar as entregas e até atendimentos dos SLAs acordados. A grande maioria de nossos clientes já assumem o costume de utilizar estes controles e até conseguem renegociações contratuais favoráveis .

O ganho do giro do leito é fundamental principalmente em instituições que sofrem com superlotação ou ocupações altas. O custo de uma “não internação” pode custar muito para sociedade, muitas vezes até com a vida de um cidadão.

Temos casos de redução do tempo de indisponibilidade dos leitos

  • de 2 horas e 48 minutos em média
  • reduzindo para 1 hora e 10 minutos em média.

Este caso citado é de um Hospital de 360 leitos e o ganho de disponibilidade do recurso foi fundamental para este Hospital.

Temos outro exemplo já citado aqui no Blog, “A Receita do Einstein“,  que no Hospital Albert Einstein uma consultoria externa calculou o ganho que o Hospital teve e afirmou que o impacto do ganho do giro do leito é como se o Hospital estivesse construido outra unidade de 62 leitos.

Este tipo de ganho, não pode ser ignorado pela rede SUS. No cenário de Déficit de leitos este ganho pode possibilitar o atendimento com menos investimentos de construção de unidades e em alguns casos, com a mesma estrutura atual se esta estiver otimizada.

Atenção nas atividades de transportes

Existem estudos que apontam que a operação de transportes intra hospitalar são responsáveis por até 40% dos desperdícios em um Hospital.

No post já falamos bastante sobre os ganhos na atividade de transporte e até temos um vídeo demonstrativo do uso de nossa ferramenta.smartphonetransporte

A implantação destas ferramentas é importantíssimo para o controle. Gera indicadores on line e dispõe em paineis e relatórios o desempenho. Além do mais. é possível garantir o atendimento aos protocolos de transportes, pois todos os transportem só acontecem seguindo o processo controlado passo a passo eletronicamente pelo sistema.

Processos críticos de acionamentos e priorização de atendimentos

Nossos acionamentos de códigos de emergências (código azul, código amarelo, código laranja etc. ) trazem aos Hospitais um ganho de eficiência exatamente nos processos mais críticos de atendimentos.acionamentos codigos

Os acionamentos são realizados eletronicamente, as respostas são registradas e tudo fica rastreável para auditoria externas ou internas.

Um exemplo da Rede SUS que implantou esta tecnologia é o O HMVSC – Hospital Municipal Vila Santa Catarina na cidade de São Paulo. Outro exemplo, também da Rede SUS é o AME Jardim dos Prados.

Em processos de qualidade

Eliminar processos manuais e controles em planilhas em papel é um fator de ganho de produtividade importante. Fora o fato da confiabilidade dos dados.

Em todos nossos produtos voltados para a área de saúde tem isto como foco!

Em especial temos o Checklist Hospitalar automatizado por tablets. Que possibilita o registro on line das verificações dos lugares ou leitos .

Se o Hospital tem acreditação ou pensar em ter

medalhaNossas aplicações oferecem dados de relatórios que eliminam o retrabalho normalmente realizado por analistas manualmente.

Estes dados e indicadores resultantes destes saem automaticamente e com a garantia de ser dados reais e consolidados.