A conquista da Inovação na Gestão da Hotelaria Hospitalar

Acontecerá na HospitalMED em Recife, dia 3 de Outubro o III Fórum de Hotelaria Hospitalar do Norte Nordeste.

palestrantes.pngNão perca a oportunidade de conhecer de perto quem está revolucionando a Gestão de processos nos Hospitais.

Dos destaques temos os seguintes palestrantes :

  • Beto – Luiz Roberto Oliveira da Voice Technology: Engenheiro Eletricista. Pós-Graduado pela Universidade de São Paulo e atualmente faz parte do Grupo de estudos do Hospital 4.0 do Hospital das Clinicas de SP, atua na área Hospitalar há 15 anos desenvolvendo produtos para aumentar a produtividade na área de saúde,  Sócio da Voice Technology.
  • Marcelo Boeger, Presidente da Sociedade Latino Americana de Hotelaria Hospitalar e Sócio Diretor da Hospitallidade Consultoria
  • Mauricio Almendro,
  • Lauro Miquelin: Arquiteto e PhD em Arquitetura de Edifícios de Saúde. É Diretor de Tecnologias e Obras da L M Gets. Tem mais de 30 anos de experiência na implantação de empreendimentos de saúde. Autor dos livros Anatomia dos Edifícios Hospitalares e UTIs Contemporâneas

programacaoiiifhhnn.jpg

III FÓRUM NORTE NORDESTE DE HOTELARIA HOSPITALAR

03/10/2018

bannerhopitalmed2018

Centro de Convenções de Pernambuco

Av. Prof. Andrade Bezerra, Olinda – PE, Brasil

Inscrição no link: clique aqui

V Simpósio Carioca de Hotelaria Hospitalar

infossimposiorioMais um grande evento da Sociedade de Hotelaria Hospitalar do Estado do Rio de Janeiro.

Acontecerá e 5 de Outubro na cidade do Rio de Janeiro.

Incrições clique aqui.

 

 

Programação do evento:

8h30 – Welcome Coffee e entrega de material

9h – Abertura

marceloboeger

Marcelo Boeger

9h30 às 10h10: Novos Modelos Mentais para Sustentar a Inovação na Hotelaria

Marcelo Boeger

Presidente da Sociedade Latino Americana de Hotelaria Hospitalar e Sócio Diretor da Hospitallidade Consultoria

10h10 às 11:00: Psicologia na assistência e na hotelaria – Fortalecimento do profissional, como preparar o profissional de saúde para lidar com as situações de vida – morte – sofrimento no ambiente hospitalar

GiovanaLamas

Moderadora:

 Giovana Lamas 

Gerente de RH da Unimed Petrópolis

Márcia Velasco – Mestre em Psicologia pela PUC – Rio, Coordenação do Núcleo de Psicologia – CEDEPS/AHERJ, Coordenação e docência da Pós Graduação em Psicologia Hospitalar da Universidade Veiga de Almeida

jocianeJociane Gatto Justen Coutinho –

Psicóloga, Coordenadora da equipe de Psicologia do Hospital Unimed Petrópolis, do Hospital Santa Teresa, Mestranda em Bioética e Presidente da UNIFOP

11h 00 às 12:00: Gestão de Resíduos RDC 306 / RDC 202, O que mudou?

virginiadtulioVirginia Di Tullio 

Consultora Organizacional da Empresa Crescer Treinamento & Desenvolvimento, Administradora de Empresas, Coach, Licenciadora Ambiental, Hoteleira Hospitalar, Analista Comportamental, Pós-Graduada e MBA Gestão de Saúde, Facilitadora Certification IN THE USE OF LEGOUS SERIOUS PLAY, Master Play de Jogos de Mercado, e desenvolve trabalhos acadêmicos na UNIFACS, Atualiza, Faculdade D. Pedro II, e Unigrad. Coordenadora do Grupo de Estudos de Administração Hospitalar do CRA-BA e Co-Autora do Livro Administração Sem Fronteiras Vol.III.

12h00 às 13h30 – Almoço

13h30 às 15h: Desinfetantes hospitalares para superfícies – Para onde iremos? Atualização, Custo benefício e Comparativo

mariahelenaperaccini

Debate  

Moderadora: Maria Helena Peraccini – 

Gerente Técnica da SPSP – Grupo Empresarial de Serviços SP, 

Vice Presidente da Sociedade Brasileira de Hotelaria Hospitalar,

Coordenadora Científica do Congresso Brasileiro de Hotelaria Hospitalar e Membro da Comissão organizadora do Congresso Latino Americano de Hotelaria Hospitalar

– Daniele Mansur Morgado – Farmacêutica Consultora Técnica da Wolf Comercial

– Gustavo Nunes Rocha – Diretor Técnico da Girassol                            

15h00 às 15h30 –  Intervalo e visita aos Stands

15h30 às 16h30: Modelo de Gestão para Certificação de Excelência do Serviço – Metodologia CIMS – Cleaning Industry Management Standard/ISSA International Sanitary Supply Association

 gtrovati.jpegGiovanna Araújo Trovati 

Enfermeira especialista em infectologia, Pós-graduada em saúde pública pela USP, Sócia Fundadora da Sociedade Brasileira de Hotelaria Hospitalar, Auditora líder da ONA, MBA em Gestão de Saúde pela CCIH MED, Pós graduada em gestão estratégica de negócios pela FIA/USP, graduanda do curso de Excelência Operacional e metodologia Lean Six Sigma – Green Belt no Instituto de Ensino Albert Einstein, 20 anos de experiência em prestação de serviços de facilities, Diretora Executiva na empresa CERTIFIX Health Services Solutions

16h30 às 17h: Palestra motivacional  

Silvana Coelho – Escritora, Radialista e Apresentadora de TV

Trecho de Silvana no evento passado:

17h – Encerramento e sorteio de Brindes

 

 

programacaosimposio.jpg

 

Gestão de leitos – Unimed Petrópolis

Nosso Blog dá espaço para a divulgação de conhecimento, principalmente quando se trata da área de atuação de nossos clientes.

Caso você queira aproveitar nosso espaço, entre em contato aqui mesmo, comentando este post …

flavia_favero-e1529969384753.jpgNeste Post publicamos a palestra de Flávia Fávero :

  • Responsável pela Hotelaria Hospitalar da Unimed Petrópolis-RJ
  • Presidente da Sociedade de Hotelaria do Estado do Rio de Janeiro

que palestrou com o tema:

GESTÃO DE LEITOS – COMO EU FAÇO?

unimedpetropolisInicialmente, Flávia apresentou o Hospital.

Citou a missão do Hospital:

Prestar assistência em saúde com humanização, qualidade, segurança e efetividade aos clientes.

Na sequência mostrou o Hospital em números:

  • 504 funcionários e mais 193 de empresas parceiras;
  • 87 leitos, (67 internações gerais, 20 em UTI’s ),
  • 5 salas cirúrgicas;
  • Taxa de ocupação de 83%;
  • média de permanência de 5,45 dias;
  • Realizamos em média por mês em 2018:  5223 atendimentos no pronto atendimento;
  • 406 internações;
  • 354 cirurgias.

Para entrar no assunto de Gestão de leitos , Flávia citou 3 definições que para ela são importantíssima:

” É a utilização dos leitos disponíveis em sua capacidade máxima dentro dos critérios técnicos definidos pela instituição, visando a diminuição da espera para internação, transferências externas e satisfação de nossos clientes pacientes e clientes médicos. “

Alexandra Reis – Gerente Operacional da AACD
Vice Presidente da Sociedade Brasileira de Hotelaria Hospitalar

Citou também Boeger:

“O giro de leitos, seria mais eficiente se as altas fossem dadas antes das 10 horas.

Os equipamentos da assistência fossem retirados do quarto de imediato, para iniciar a terminal e os utensílios existentes no quarto fossem rapidamente consertados.”

Marcelo Boeger Presidente da Sociedade Latino Americana de Hotelaria Hospitalar

Sócio Diretor da Hospitalidade Consultoria para Meios de Hospedagem.

Coordenador e Professor da Pós Hotelaria Hospitalar do Einstein

E por último, apresentou a definição de seu profissional de linha de frente, um plantonista que em sua simplicidade descreveu bem a questão:

“ Se o médico der alta cedo e o paciente for embora, liberamos a nossa parte o mais rápido possível, para higiene limpar e em seguida a rouparia arrumar…assim o leito é liberado para o próximo paciente.”

Celso Gonçalves – Plantonista do setor de
manutenção do Hospital Unimed

Na sequencia , Flávia expôs todas as áreas e atividades ligadas diretamente na Gestão de leitos, e fez um breve relato de cada uma:

  • Nutrição,
  • Estacionamento,
  • Controle de pragas,
  • portaria,
  • Higienização e resíduos
  • Governança,
  • Lavanderia,
  • Recepção,
  • Manutenção…

Ainda nesta descrição, salientou que para o bem estar e segurança do paciente, o processo de gestão de leitos tem que estar bem integrado com os seguintes profissionais diferentes no Hospital:

  • Nutrição,
  • Administração,
  • Serviço de Higienização,
  • Governança,
  • Lavanderia,
  • Manutenção,
  • Enfermagem,
  • Equipe médica,
  • Recepção,

Depois falou um pouco sobre o processo em si:

Processo de gestão de leitos

fluxoliberacao

Flávia, também mostrou o fluxo de liberação da Unidade de internação.ou

 

Baseado na figura ao lado, demonstrou a sequencia de atividades deste fluxo.

Que se inicia na recepção, que aciona Higiene, que antes de liberar realiza um checklist.

Sendo:

Checklist ok: Leito liberado

Checklist não ok: encaminha para providencias (Higiene ou Estrutura).

Anomalia resolvida: volta ao checklist .

Não resolvida: segue interdição do leito.

Flávia então entrou em detalhes de suas atividades na busca da melhoria continua em sua gestão de leitos.  Detalhou as ações, atividades e conquistas, explicando ponto a ponto a lista a seguir:

  • Ênfase no foco no cliente e maior envolvimento da alta direção
  • Ter Política de Gestão de Leitos
  • Ter Procedimentos descritos e estruturados
  • Informação confiável
  • Melhorar a interação e a comunicação das equipes
  • Ponto de partida em 2013…
  • Início do stand up final de 2014
  • Nova rodada de melhorias nos processos em 2015
  • Janeiro de 2016 – ONA I
  • Melhor apuração dos dados e ações de melhorias
  • Recertificação do Selo ONA I – 2017
  • Início da criação da Comissão de Gestão de Leitos – 2018
  • Medir, avaliar, discutir dados, indicadores e ações.

Flávia ainda detalhou o que cada área colaborou para o processo de Gestão de leitos:

Enfermagem:

  • Maior Envolvimento da equipe de enfermagem
  • Boletim três vezes em 24 horas do Pronto Atendimento
  • Boletim diário dos setores fechados
  • Definição de leitos / distribuição de Pacientes junto a equipe da internação
  • Envolvimento nos fluxos e criação de novos processos
  • Planos de ação para melhoria contínua
  • Plano de alta
  • Comunicação / orientação aos pacientes e familiares
  • Gerenciamento de leitos de pacientes de longa permanência – Interface com SCIH

Manutenção:

  • Envolvimento quanto a liberação das acomodações
  • Realização do Checklist de inspeção estrutural
  • Mensurar os subtempos referentes a manutenção imediata
  • Mensurar o subtempo referente a interdição da acomodação

Recepção:

  • Definição de prioridades
  • Cancelamento/Liberação do Mapa Cirúrgico
  • Protocolo de agendamento de cirurgias
  • Boletim duas vezes em 24h informando os leitos disponíveis
  • Treinamento
  • Procedimentos
  • Interação com o SCIH – Avaliando os Pacientes em Precaução
  • Equipe Pró ativa

Rouparia:

Mensageiro / Auxiliar de Hotelaria

  • Condução do cliente ao leito “Check in”, ao centro cirúrgico. Sinalização do cliente na SU e apoio a esse paciente.
  • “Check out”
  • Condução de acompanhantes após alta de setores fechados.
  • Verificação diária das altas e previsões, alinhada a recepção, higienização e manutenção.

Camareira

  • Envolvimento com a equipe de higiene.
  • Maior interface com clientes internos e externo.
  • Retorno ao mensageiro.

Higienização:

  • Equipe orientada e pró ativa em relação a gestão de leitos.
  • Mudança no fluxo de liberação da UI.
  • Remanejamento da equipe de apoio para terminais.
  • Indicadores – Com análise crítica e planos de ação definidos.
  • Auxílio do papel – Lançamento dos dados em Excel e a geração desses dados.
  • Melhoria na comunicação

Cafés literários:

Como uma das atividades de engajamento, Flávia citou eventos internos com seus colaboradores, onde eles eram convidados para um café onde trocavam idéias de melhorias e coletava oportunidades a serem exploradas: A seguir fotos dos últimos cafés literários (2017/18):

Considerações finais da palestra:

A gestão adequada de leitos é um processo crítico para a garantia da sustentabilidade de qualquer Instituição hospitalar.

O desconhecimento do perfil assistencial/epidemiológico da Instituição, o pouco giro de leitos, o tempo médio de permanência alto, a super ocupação e consequente falta de leitos são problemas ainda muito comuns na maioria dos hospitais, trazendo como consequência o aumento do risco assistencial, a insatisfação dos clientes, sobrecarga e estresse para os funcionários e a perda financeira quando um leito fica parado.

O Gerenciamento de leitos é um processo complexo, e de responsabilidade multidisciplinar (Hotelaria, Administração, Médico, Enfermagem, Nutrição, etc).

e por final mostrou o,

resultado de uma pesquisa de satisfação:

recomendacaounimed

Flávia disponibilizou  para download a apresentação na integra a qual utilizou.

Contém além das informações do post, os resultados conquistados.

 

 

 

 

Uber como ferramenta de melhoria da saúde?

Muito Interessante o post do Professor Alvaro Camargo !
Por isso “rebloglamos” aqui para compartilhar…

Alvaro Camargo, M.Sc., PMP

Uberhealth

Por Alvaro Camargo em 20 de março de 2018.

O texto a seguir é um resumo de um artigo original, escrito e publicado em 20 de março de 2018 pela jornalista Jaimy Lee, editora de notícias do LinkedIn para a área de Saúde. Resolvi fazer um resumo do artigo para meu amigo e colega, Isaac Ferraz, que está fazendo doutorado na área que envolve a intersecção entre mobilidade urbana e saúde. Ao ler o artigo original eu logo cheguei a conclusão de que a reportagem merecia uma divulgação maior já que trata de um assunto de interesse geral: como melhorar a saúde pública com plataformas digitais de compartilhamento de veículos como Uber99Easy Taxi e Cabify ? Dada a importância do tema eu resolvi publicar este texto.

Segundo a jornalista Jaimy Lee, existe atualmente uma disputa ferrenha entre Lyft e Uberpara se tornarem o…

Ver o post original 591 mais palavras