Como foi a 2a.Jornada de Hotelaria Hospitalar do Sindhospa

O SINDIHOSPA (Sindicato dos Hospitais e Clínicas de Porto Alegre) e seu comitê de Hotelaria realizou sua 2a. Jornada de Hotelaria Hospitalar. O público lotou o auditório do Hotel Sheraton em Porto Alegre. O evento, com o intuito de dividir experiências e tendências neste mercado. Trouxe para palestrar referências como :

Esta foi a segunda edição do evento, que contou com a presença dos principais hospitais e clínicas da Região Sul do País.

O ciclo de palestras sobre contextos de extrema relevância, formação e melhores práticas, reuniu profissionais de referência na área e foi um sucesso!

1Henri Siegert Chazan, presidente do SINDIHOSPA, acredita que essa troca de ideias indica rumos para a capacitação e melhorias de práticas não apenas para hospitais, mas também para outros segmentos do setor da saúde.

Segundo ele:

“A hotelaria hospitalar não se resume ao bem-estar do paciente. Trata da viabilidade de atendimento do sistema. E isso tem impacto direto nos residenciais geriátricos, por exemplo, que são tão importantes nessa cadeia”,

Nos orgulhamos muito de poder apoiar e ter patrocinado este grande evento.

Ao lado temos o nosso espaço, onde foi possível receber todos os interessados em nossa tecnologia. No local mostramos o funcionamento de 2 novidades:

Além dessas soluções estávamos a disposição para falar sobre Gerenciamento de Leitos, Confirmação de consulta automatizada, acionamentos de emergência etc. Veja um pouco no vídeo a seguir:

 

Um dos grandes destaques do evento foi a palestra de Elide Gindro Zordan do Hospital Sírio Libanês. que abordou o tema :

“Desospitalização”.

A palestra trouxe práticas aplicadas no Sírio Libanês que realmente impressionaram pelo pioneirismo no Brasil e pelos resultados.

O inicio da palestra, Elide falou um pouco do conceito e também do cenário e impactos. Explicou que as ações de desospitalização começam antes da entrada do paciente, falou da importância da integração de todo hospital e do desperdício de capacidade de leitos que estas ações evitam.

No Sírio, a previsão de alta é “amarrada” no Cid (código da doença) e na prescrição médica.  

No caso do Sírio, que trabalha com uma ocupação de 95%. O trabalho de desospitalização é fundamental para a otimização de leitos, assim é possível usar um número menor dos leitos, impactando diretamente nos custos e no aumento de receita. 

Falou bastante do trabalho em um Hospital de Porta aberta, do trabalho direto com as Evidências na Gestão de leitos, práticas assistenciais , alta antecipada …  

O Sírio tem corpo clínico aberto, a instituição é mais flexível inclusive no perfil de internação, assim o trabalho da equipe é aumentado e detalhes como previsão de alta, identificação de quais necessidades dos pacientes,  da transição e principalmente na interface com as lideranças.

Elide deu destaque ao uso de mensageria. Praticamente não se usa o telefone para ações operacionais diárias e da rotina, aplicativos de mensagens se tornaram fundamental para tomadas de decisões em tempo real. Como o celular no Sírio é corporativo o uso de plataformas abertas de comunicação transformou completamente o dia a dia.

Deu exemplos como o caso de pacientes do pronto atendimento, e de seu trabalho de controle para evitar internações desnecessárias. Pacientes que antes internavam apenas para tomar antibióticos, hoje tomam em casa.

Falou bastante também das ações de sua equipe para viabilizar o uso do Home Care. Eles ajudam a buscar a aprovação das operadoras para que esteja alinhado com a alta hospitalar.

A equipe tem um compromisso fixo. Reuniões em todas as terças feiras as 11 horas. Nesta é debatido a evolução de todos os casos crônicos internados. 

Na Coordenação do processo de alta, muita coisa é trabalhada para evitar o retorno do paciente e ajudar a garantir o melhor tratamento.

Depois? Tem casa tem Home Care? A operadora da direito ? É particular ?  ….

Outro foco de trabalho é na orientação às famílias para internações de longa permanência. O impacto dos pacientes de longa permanência e o trabalho focado nestes para buscar alternativas e buscar a desospitalização.

Há um “Score de risco” na internação. O acompanhamento das reinternações de pacientes crônicos, principalmente idosos. Inclusive o Sírio foi reconhecido por este trabalho e ganhou o Prêmio:  “Amigo do idoso”. Mesmo sendo a maioria dos crônicos ser jovens 

Uso de Inteligência empresarial aplicada, com o uso do Sistema de BI (Business Intelligence) possibilita o trabalho em tempo real de acompanhamento. Reinternações crônicas são acompanhadas desde a internação .

Dentre as atividades possibilitadas pelo BI: Indicadores de desospitalizaçãosolicitações de home care,  verificações de negativação e acompanhamento das justificativas das negativas para intervenção e tentativas de reversão e até identificação de pioras clínicas e óbitos. O “Start” de ações e atividades automatizados, garantem a efetividade das ações. 

Deu exemplo de ações aplicadas a um programa do SUS que trabalha com Mulheres que fazem curativos,com preparos antecipados para desospitalização, elas são liberadas logo de manhã após o café. 

Alguns trabalhos da equipe na melhoria dos atendimentos que possibilitam a liberação mais rápida de leitos foram abordado, um exemplo de um programa de atendimento a pacientes de procedimentos em Mamas é liberado uma internação na Véspera.

Assim que acabou a palestra, Elide concedeu uma entrevista:

Outro destaque do evento foi a palestra de Ana Augusta Salotti – Hospital Moriah /São Paulo – SP e também do Site: HotelariaHospitalar

Ana Augusta palestrou sobre o tema de Gerenciamento de Enxoval. Trouxe diversos cases de sucesso e falou sobre ações do dia a dia que impactam diretamente no Gerenciamento de Enxoval.

Outro grande destaque da Jornada de Hotelaria foi a palestra de :

  • Liane Piccoli – Hospital Moinhos de Vento /Porto Alegre – RS,

que teve o tema : Treinamento Admissional para equipe de limpeza. Registramos um pequeno trecho de 1 minuto para ilustrar este post:

Outros temas como inteligência emocional, e cases foram outros assuntos abordados na 2ª Jornada de Hotelaria Hospitalar.

Profissionais de instituições de saúde da capital gaúcha – como os hospitais Divina Providência, Santa Casa, Moinhos de Vento, Mãe de Deus, Instituto de Cardiologia e Hospital de Clínicas etc. também integraram a programação do evento.

O Palestrante Marco Fossati também deu uma entrevista após o evento:

​​

Sobre o SINDIHOSPA

sindihospa

Fundado em 12 de novembro de 1962, o Sindicato dos Hospitais e Clínicas de Porto Alegre (SINDIHOSPA) representa os prestadores de serviços de saúde estabelecidos na capital gaúcha.

O sindicato patronal reúne hospitais, clínicas, residenciais geriátricos, laboratórios de análises patológicas e outras organizações do setor.

Desde 1995, o SINDIHOSPA integra a Confederação Nacional de Saúde (CNS) e a Federação dos Hospitais e Estabelecimentos de Saúde do Rio Grande do Sul (FEHOSUL).

O SINDIHOSPA atua como protagonista nas negociações com as classes profissionais e prestadores de serviços da rede pública e privada. Além de defender os interesses de seus associados, colabora para qualificar as políticas e os modelos de atendimento das instituições.

O Sindicato conta com comitês técnicos, que realizam reuniões periódicas para tratar de assuntos estratégicos, com foco no gerenciamento e na qualificação de áreas específicas. São espaços dedicados a debates de ideias e à busca de soluções para os desafios do setor.

Os associados do SINDIHOSPA contam com assessoramento jurídico e podem participar de palestras, cursos de capacitação, painéis de inovação e fóruns sobre questões técnicas e operacionais.

MISSÃO
Fortalecer os serviços de saúde de Porto Alegre, estimulando a sua competitividade e promovendo a livre iniciativa, a economia de mercado, a integração de empregados e o respeito aos princípios éticos, em cooperação com o governo e a sociedade, visando ao desenvolvimento do setor de saúde.

Comissão Organizadora:

  • Alessandra Dewes – SINDIHOSPA
  • Daiane Almeida – Hospital São Lucas da PUCRS
  • Elisabete Reinehr – APHILAV – Associação dos Profissionais de Higienização e Lavanderia
  • Elisângela Calvi – Hospital Divina Providência
  • Melissa Cândido

Comitê de Hotelaria:

  • Adriana Meyer Leite da Silva – Santa Casa de Misericórdia de Porto Alegre
  • Alexsandra Costa da Silva – Hospital Nossa Senhora da Conceição
  • Ana Lúcia Kern Thomas – Hospital de Clínicas de Porto Alegre
  • Ana Rúbia Bortolotti da Rosa – Hospital Independência
  • Daiane Almeida – Hospital São Lucas da PUCRS
  • Elisabete Reinehr – APHILAV
  • Elisângela Calvi – Hospital Divina Providência
  • Gabriela Freiberger Kunrath – Hospital Restinga e Extremo Sul
  • Giovanni Fuchs – Hospital Ernesto Dornelles
  • Liane Piccoli – Hospital Moinhos de Vento
  • Marcia Maria Favero – Hospital Mãe de Deus
  • Márcia Muccillo Tigre – Hospital São Lucas da PUCRS
  • Patrícia Souza – Hospital de Clínicas de Porto Alegre
  • Potira Oliveira de Barros – Hospital Divina Providência
  • Raquel Lima de Oliveira – Hospital Mãe de Deus
  • Viviane Jacques Vianna – Hospital Ernesto Dornelles

Sobre a RCEIT

4

A RCE IT  deu todo o apoio local para a Voice Technology poder mostrar suas soluções durante o evento. Possibilitou toda infraestrutura local e colocou a disposição da Voice profissionais de seu time comercial e marketing.

Agradecemos em especial aos profissionais:

 

Ainda dá tempo ! Inscrições abertas para a 2ª Jornada de Hotelaria Hospitalar

Acontecerá em Porto Alegre, no dia 8 de Junho a 2ª Jornada de Hotelaria Hospitalar. Nós da Voice estaremos lá participando deste evento. ë um orgulho ser um dos patrocinadores.

Ainda da tempo de fazer sua inscrição ! Clique aqui

2jornada testeNos dias de hoje, a hotelaria hospitalar nos oferece grandes desafios, como otimização do tempo de higienização, segurança do paciente, atendimento humanizado, gestão de pessoas e leitos.

A administração dos leitos e a “desospitalização”, junto com as atividades da hotelaria, exigem conhecimentos e habilidades que podem contribuir com a saúde financeira das instituições. Ao aumentar o giro e a taxa de ocupação dos leitos, a hotelaria hospitalar otimiza sua utilização.

Com a realização da 2ª Jornada de Hotelaria, o Comitê de Hotelaria do SINDIHOSPA pretende proporcionar aos participantes a troca de experiências de melhores práticas. Um time qualificado de profissionais apresentará palestras de temas relevantes para a qualificação da gestão na área.

A Programação do evento é a seguinte:

  • 07h30 – 08h15 – RECEPÇÃO E CREDENCIAMENTO
  • 08h15 – 08h30 – Abertura
  • 08h30 – 09h00 – INTERFACE DA CENTRAL DE LEITOS COM O SERVIÇO DE GOVERNANÇA
    • Elisângela Calvi – Hospital Divina Providência /RS
  • 09h00 – 10h10 – DESOSPITALIZAÇÃO DE PACIENTE COM LONGA PERMANÊNCIA
    • Elide Gindro Zordan – Hospital Sírio Libanês /SP
    • Marco Fossati – Hospitalar Atenção a Saúde /RS
  • 10h10 – 10h40 – INTERVALO COFFEE BREAK
  • 10h40 – 11h00 – Palestra: MedCare – tema à definir
  • 11h00 – 12h00 – GERENCIAMENTO DO ENXOVAL
    • Ana Augusta Salotti – Hospital Moriah /SP
  • 12h00 – 13h15 – INTERVALO / ALMOÇO LIVRE
  • 13h15 – 13h50 – STAND UP
    • Mauro Fagundes – Santa Casa de Misericórdia de Porto Alegre /RS
  • 13h50 – 14h10 – DESMISTIFICANDO O SERVIÇO DE CONCIERGE
    • Pedro Henrique Sica – Instituto de Cardiologia /RS
  • 14h10 – 15h10 – CASES SOBRE FORMAÇÃO DE PROFISSIONAIS DE HOTELARIA:
    • Capacitação de profissionais de higienização –
      • Raquel Lima de Oliveira – Hospital Mãe de Deus /RS
    • Critérios de Seleção para profissionais de lavanderia
      • Joel Pons da Rosa Júnior – Hospital de Clínicas de Porto Alegre /RS
    • Treinamento admissional para profissionais de higienização –
      • Liane Piccoli – Hospital Moinhos de Vento /RS
  • 15h10 – 15h40 – COFFEE BREAK
  • 15h40 – 16h00 – A HUMANIZAÇÃO RESGATANDO O PROPÓSITO DA MARCA, GERANDO VALOR E DIFERENCIAÇÃO
    • Márcia Fernanda Sampaio – Hospital Mãe de Deus /RS
  • 16h00 – 17h30 – INTELIGÊNCIA EMOCIONAL – Renata Bidone