Lançamento do Programa de Certificação Voice para empresas terceiras

selo certificada voiceEste post é para informar que lançaremos um programa de Certificação para empresas terceiras de prestação de serviços. Teremos um processo aberto a qualquer empresa que queira. Será um processo com evidências comprovadas de adaptação a nossas soluções e terá validade de 2 anos e a partir deste prazo terá que re-certificar.

Fomos incentivados por alguns clientes que passaram por momento de trocas de equipes. Em alguns troca de equipes inteiras. Clientes que tinham excelentes desempenhos, sentiram muito com a queda de produtividade nestes momentos de mexida.

Tivemos situações em:

  • uma primeira terceirização de mão de obra,
  • ou em alguns casos de troca de empresa e não renovação do contratado atual

Alguns clientes que passaram por esta situação, nos sugeriram termos um programa de certificação para empresas terceiras. Assim iniciamos um trabalho piloto em uma implantação recente e já temos o primeiro processo de Certificação concedido. No caso foi para os Produtos de Gerenciamento de Leitos e Checklist Hospitalar.

Nos próximos dias, iniciaremos a divulgação deste processo, e abriremos para qualquer empresa que se interesse em se capacitar em nossas soluções poder contratar este processo.

Nossa certificação trará os seguintes benefícios para nossos clientes:

  • Proporcionar maior segurança na contratação de uma empresa terceirizada,
  • Em novas contratações ou renovações com empresas terceiras, o cliente poderá ter uma garantia de que o novo contratado tenha experiência com os processos relacionados aos nossos Produtos,
  • uma empresa com a certificação Voice, já terá experiência comprovada e não terá que se adaptar a novos processos,
  • a empresa terceira, já conhecerá os indicadores e relatórios fornecidos por nossos sistemas e não se vai se opor a ter estes como SLA em seus contratos,
  • haverá grande diminuição de tempo de início da nova operação, pois com colaboradores já treinados, ou pelo menos replicadores da própria empresa estarão aptos,

Todos os certificados terão:

  • um número mínimo de funcionários treinados,
  • um número mínimo de supervisores capacitados,
  • um Responsável Técnico qualificado,
  • replicadores de conhecimento,
  • pelo menos um cliente referência,
  • garantia de reciclagem de conhecimento pois o processo tem validade e tem que ser renovado,

Faremos este mesmo processo para outras soluções:

  • Setup do Centro cirúrgico,
  • Transporte,
  • Time de Resposta Rápida,
  • Confirmação de consultas.

Toda a empresa que se certificar, estará em uma relação disponível em nosso Site que disponibilizaremos em breve. A empresa também poderá usar o logo da certificação em seu material publicitário.

Eu me coloco a sua disposição para esclarecer qualquer dúvida e estou aberto a suas sugestões. Envie um e-mail para: ivan@voicetechnology.com.br

Sistema de saúde & Hotelaria Hospitalar

Screenshot from 2019-07-01 10-02-40O sistema de saúde é definido como um sistema complexo, sendo dinâmico, não existe um único ponto de controle, os comportamentos são imprevisíveis e incontroláveis, e as necessidades das partes não são homogêneas.

Segundo Marcel Proust, as verdadeiras descobertas não consistem em visualizar novas terras, mas em ver com novos olhos. Partindo deste pensamento podemos falar de Hotelaria dentro dos hospitais, o que é muito mais além do que estrutura. A Hotelaria Hospitalar consiste em Serviços aos clientes, Humanização no atendimento, Departamentalização, Gerenciamento e Hospitalidade.

Se sabemos que o sistema de saúde é complexo, teremos que ter processos bem definidos nas unidades hospitalares para poder gerir toda a estrutura, já pensou que a Hotelaria pode ser o caminho?

Para falar de Serviços ao Cliente, precisamos entender quem são eles. Para a Hotelaria o paciente não é mais denominado desta forma, este hoje é cliente de saúde, o qual tem expectativas além do atendimento a saúde. Atendemos além deste cliente os seus familiares e visitas, os quais buscam mais conforto nas unidades e distração.

Segundo Fadi Taraboulsi entendemos por cliente de saúde é toda e qualquer pessoa que entra em contato com o hospital para adquirir serviço médico-hospitalar, ou simplesmente solicitar uma informação. Tendo esta visão de cliente podemos desenvolver produtos e serviços para deixá-los mais confortáveis no ambiente, o qual não escolherem estar.

Vimos que nesse sistema a necessidade das partes não são homogêneas, e a grande conquista da Hotelaria é a Humanização, a qual é a grande descoberta da tecnologia moderna. A Hotelaria traz em seu seio a humanização das pessoas e do seu ambiente hospitalar, ela deve ser a mão amiga que se estende para romper com os paradigmas.

A Departamentalização na hotelaria, trata-se de dividir os seus setores: Recepção e Hospedagem, A & B (Alimentos e bebidas), Governança (higienização e arrumação dos quartos), Lavanderia, Coleta de Resíduos, Lazer e bem estar; entre outros que podem ser adaptados conforme a unidade.

O Gerenciamento das atividades operacionais ficam por conta da Hotelaria, onde tem a responsabilidade de entender os fluxos de atendimento, criar fluxogramas, supervisionar e criar melhorias nos processos.

A Hospitalidade esta se tornando parâmetro para a mensuração da qualidade de produtos e serviços, para recuperar a prática da cortesia e acolhimento. Nas unidades hospitalares além da cura o que nosso cliente de saúde mais busca é o acolhimento, no momento de enfermidade. Assim a hospitalidade está presente na Hotelaria auxiliando no ato de receber. Hospitalidade implica Humanização e valorização das relações interpessoais nas organizações.

Abraçar a Hotelaria pode representar a sobrevivência da instituição de saúde, não causa pânico e nem medo, requer somente uma percepção para transformar os comportamentos em condutas, e as atividades em processos. Vamos adquirir o pensamento de Proust e ter novos olhares para as nossas instituições.

 

Sobre Lediana

ledianaLediana Pais é propietária da L Pais Consultoria.

L Pais Consultoria é especialista na área da saúde, dedicada ao mapeamento de processos internos, capaz de identificar oportunidades para promover melhoria continua. Com a aplicação de técnicas e metodologia de gestão para Excelência Operacional e Hotelaria Hospitalar, está no mercado para reduzir desperdícios nos processos internos da sua estrutura.

Lediana é Formada em Hotelaria pela Castelli Escola Superior de Hotelaria, pós-graduada em Administração Executiva pela FGV, especialização em Hotelaria Hospitalar pelo Albert Einstein Faculdade Israelita de Ciências da Saúde, curso Sistema Brasileiro para Avaliadores pela ONA, pós-graduada em Excelência Operacional na Área da Saúde pelo Albert Einstein Faculdade Israelita de Ciências da Saúde, e Green Belt  em utilização da metodologia Lean Six Sigma.

Nós, hoteleiros hospitalares, somos responsáveis por processos desde o agendamento cirúrgico até a alta do cliente. Lediana Pais

 

351f4e90

A implantação da Hotelaria dentro de um hospital é uma importante e sábia decisão.

20190625_160144_0000.pngArtigo de Renata Baleotti
A implantação da Hotelaria dentro de um hospital é uma importante e sábia decisão. (no post Quando a arte… falo sobre isso)
Porém não é uma tarefa fácil.
Requer muitas mudanças. A primeira é a criação de um Departamento de Hotelaria.
As mudanças podem ser estruturais, arquitetônicas, tecnológicas, administrativas e, principalmente de cultura organizacional.
O cliente interno pode, muitas vezes, estar acomodado ou vivendo numa zona de conforto. Quem nunca escutou frases do tipo:
” sempre foi assim e pra que mudar? “
Poderá haver resistência? Sim.
A cultura organizacional é um dos primeiros desafios enfrentados pelos hospitais nesse momento. Para implantar um serviço diferenciado para o cliente externo, é essencial focar no cliente interno.
O treinamento é a base mais importante. Porém para que os serviços sejam melhores prestados é necessário também dar exemplos no dia a dia. (Do que adianta um gestor nem sequer um bom dia falar para um colaborador).
Além de mostrar que as mudanças também os beneficiam.
Promover um clima mais humano pra quem pratica hospitalidade e humanização é uma das chaves para o sucesso.
Logo abaixo vou dar alguns exemplos de ações realizadas na Santa Casa de Sertãozinho – SP, para o cliente interno, na época da implantação da hotelaria.
  1. Visita técnica em um hotel. Os colaboradores foram levados para conhecer um Hotel. Consideramos importante eles conhecerem a hotelaria convencional já que muitos conceitos seriam implantados no hospital. Vivenciar, mesmo que por algumas horas, é diferente de somente imaginar o que o gestor fala.
  2. A comemoração dos aniversariantes do mês foi remodelada. Cada mês tinha um tema e cardápio diferente. Isso gerava uma expectativa no hospital como um todo.
  3. Comemoração do Dia do Hoteleiro dia (09/11). Os colaboradores desse setor passaram a ter um dia também comemorado na instituição como forma de homenagem à eles. Eles passaram a se enxergar também como peça fundamental na experiência do cliente de saúde.
  4. No Dia das Crianças foi realizada uma campanha de arrecadação de brinquedos para os colaboradores de setores mais carentes e, que tinham filhos.
  5. E o setor de costura do Hospital ficou responsável por aproveitar as sobras de tecidos e confeccionar roupas novas para as bonecas doadas.
  6. Nas datas comemorativas como Dia das Mães, dos Pais, Natal realizamos ações para os colaboradores. De um simples cartaz anexado no mural à apresentação musicais de voluntários, entre outros.
  7. No informativo interno da instituição registrávamos ações e resultados do setor. Os colaboradores de outros setores os parabenizavam, o que gerava uma maior motivação.
  8. Os colaboradores tinham voz no dia a dia. Achávamos importante escutar as ideias. Muitas inclusive foram implantadas.
  9. Foi alterado o cargo das auxiliares de limpeza para assistentes de hotelaria na carteira de trabalho.
São ações simples, sem altos investimentos mas que tornaram a Santa Casa referência em Hotelaria Hospitalar na época.
O que é importante sempre lembrar é que a implantação da hotelaria deve gerar uma mudança na cultura organizacional do hospital como um todo para um resultado mais positivo.

Sobre Renata Baleotti

Renata BaleottiRenata é especialista em Hotelaria Hospitalar,

Interessada em Humanização hospitalar, realizou trabalhos em Hospitais públicos e privados.

Formada em Hotelaria e Turismo na UNAERP.

Trabalhou em grandes Hospitais como a Santa Casa de Sertãozinho e o Hospital CopaD’or (Rio de Janeiro).

Acredito que seja interessante para inspirar gestores. Mostrar que a humanização dentro de hospitais é possível. E que não precisa de grandes investimentos. Pra Humanizar, basta SER humano.

Renata Baleotti

Textos relacionados:

 

Sobre a Santa Casa de Sertãozinho

santacasasertaozinhoA Irmandade da Santa Casa de Sertãozinho, está localizada na região nordeste do estado de São Paulo. Com 129 leitos, é um hospital geral de alta complexidade em neurocirurgia e ortopedia. Com atendimento ao SUS, convênios e particular.
É o único hospital da cidade de Sertãozinho que atende o Sistema Único de Saúde – SUS. O Hospital também de referência da Região de Saúde Horizonte Verde, composta por 9 (nove) cidades, sendo: Barrinha, Dumont, Guariba, Jaboticabal, Monte Alto, Pitangueiras, Pontal, Pradópolis e Sertãozinho, totalizando 436.833 (quatrocentos e trinta e seis mil oitocentos e trinta e três) habitantes, que contam com acesso a todos os serviços de nível secundário.
Fundada em 1.898 e é considerada pelo Ministério da Saúde como hospital de médio porte, contando com serviços de média e alta complexidade em Traumato Ortopedia e Neurocirurgia, sendo classificada como hospital Estratégico pelo programa Estadual Santa Casa Sustentável.

Importância do Gerenciamento de leitos Voice para Hospitais usuários MV

É recorrente a pergunta sobre integração com MV !

Este post foi feito especialmente para ilustrar como nosso Gerenciamento de leitos agrega aos Hospitais usuários do Sistema MV.

Vital para alcançar a eficácia nas internações, o gerenciamento de leitos é um processo chave de um hospital, promove a utilização dos leitos disponíveis em sua capacidade máxima.

Incorporar uma metodologia de gerenciamento de leitos hospitalares eficaz vem se tornando fundamental. Investir em processos e ferramentas para agilizar o processo de internação é algo essencial para maximizar resultados.

Criar e acompanhar indicadores de desempenho são atividades fundamentais para uma gestão eficiente na Saúde. Métricas garantem que os resultados traçados no planejamento estratégico sejam alcançados. Permite à organização agir em tempo real diante dos desafios.

Mesmo com um software excelente de Gestão Hospitalar, ainda há lacunas manuais as quais não são cobertas. Nosso sistema é complementar, e consegue cobrir estas lacunas no gerenciamento de leitos. Temos diversos casos de sucesso nos quais transformamos a produtividade de Hospitais os quais já eram usuários do Sistema MV.

temposgirodeleitoanoanoA implantação do Sistema MV já gera alguns benefícios à Gestão de leitos, um de nossos clientes registrou a evolução ano a ano dos indicadores de giro de leito e fica explícito o impacto que cada sistema.

Estes dados são muito esclarecedores e servem como referência para os Gestores. No artigo O que mudou com a utilização do Voice, temos mais detalhes deste caso.

Alguns Hospitais que são referência no mercado brasileiro possuem o gerenciamento de leitos da Voice integrado com o MV, dentre eles destacamos alguns:

  • Hospital 9 de Julho,
  • Congregação Santa Catarina (Hospital Santa Catarina, Casa de Saúde São José, Santa Tereza etc.)
  • Hospital Anchieta,
  • Unimed Volta Redonda,
  • Hospital Moinhos de Vento,
  • Hospitais São Camilo (Pompéia, Santana e Ipiranga)
  • Unimed Fortaleza,

Moinhos de Vento

moinhos no congresso de hotelaria

O Hospital Moinhos de Vento já participou de alguns congressos e simpósios onde apresentou seus resultados com o Voice:

O Moinhos também foi destaque do Site Hotelaria Hospitalar.

Hospital Anchieta (DF)

O Hospital Anchieta também já era usuário do Sistema MV, e depois da implantação do Voice teve ganhos muito expressivos.

No vídeo a seguir temos um trecho da entrevista de Izabela Moreira ao Site Hotelaria Hospitalar onde deixou claro que com o Voice:

  • conseguiu maior eficiência nos processos,
  • com a metodologia do sistema possibilitou engajar toda a equipe,
  • teve a melhoria no tempo de giro de leito, eliminando em média 4 horas que o leito ficava aguardando inicio de limpeza,
  • aumento da eficácia e melhoria do giro do leito,
  • possibilitou incutir a liberação de leito mais ágil,

Link da entrevista na integra

Este Hospital já apresentou seus resultados em Congressos e Simpósios. Na III Jornada de Hotelaria Hospitalar do DF e GO , Izabela demonstrou o Case em Gerenciamento de leitos e destacou o uso da tecnologia. Mostrou como se beneficiou da integração entre Voice e MV.  Mostrou vários painéis vivos de acompanhamento que proporcionam o controle em tempo real.

No final de sua palestra, Izabela demonstrou os ganhos no giro do leito que teve com a implantação do Voice:IMG_8323.JPG

  • Tempo de espera:
    • de 4 hs 46m 20s
    • para 1h 27m 25s
  • Tempo de deslocamento
    • de 7m 55s
    • para 8m 14s
  • Tempo de Higiene
    • de 1h 0m 47s
    • para 52m 26s
  • Tempo de supervisão
    • de 36m 29m
    • para 16m 54s
  • Tempo total:
    • de 6hs 31m 35s
    • para 1h 54m 02s

Hospital Unimed Volta Redonda

O Hospital Unimed Volta Redonda é um exemplo de Hospital que sempre investe em tecnologia . Uma evidência disto é por ele ser um dos primeiros Hospitais com qualificação de Hospital Digital na América Latina, tendo o Himss ERAM 7 (nível máximo). Temos nosso sistema desde a criação do Hospital e ele foi o sistema de integração oficial com a MV.

A Unimed é um bom exemplo em que nosso sistema dá indicadores adicionais a operação. Recentemente o Hospital refez seu processo de terceirização de limpeza e aproveitou os indicadores on line de nosso sistema para colocar estes como SLA no contrato.

Na tela a seguir, o indicador de Porcentagem de execução das limpezas concorrentes realizadas antes do meio dia.

Porcentagem de limpezas concorrentes realizadas

Os relatórios agregam valores aos nossos processos pois direcionam nossas estratégias. Foi um ganho para o setor e para geração de resultados. Hoje, deixamos de atuar diante de percepções e monitoramos de fato cada etapa do processo.

Jéssyca Moreira

Líder de Hospitalidade da Unimed Volta Redonda

Dentre os diversos controles que se transformam em gerenciamento do resultado do terceiro, temos o relatório a seguir que demonstra quantas Limpezas terminais foram realizadas na meta e quantas não.

telanameta

Outra ação que nosso sistema proporcionou, foi ter on line a produção de cada trabalhador. Os melhores são premiados ! No mês passado as 3 que melhor desempenharam na limpeza concorrente e as que melhor desempenharam na limpeza terminal foram premiadas com um dia de Beleza.

Veja um exemplo deste relatório:

relatorioconcorrentesranking

 

 

Hospital 9 de julho

O pioneiro com uso de nosso sistema integrado ao MV,  este é um dos Hospitais que estão mais avançados no controle de seus processos. Ao entrar na sala de Hotelaria chama atenção que todos acompanham o Voice, o engajamento envolve todos e é impressionante como até os funcionários da prestadora de serviço são envolvidos.

No Hospital 9 de Julho, o processo de Gestão de leitos cresceu e hoje somos o sistema mandatório de manutenção. Os acionamentos são realizados pelo Voice.

Hospitais da Congregação Santa Catarina

Hospital Santa Catarina

Atualmente abrange 5 Hospitais da Congregação:

  • Santa Catarina (SP),
  • Casa São José Humaita (RJ),
  • Santa Teresa de Petrópolis,
  • Nossa Senhora da Conceição em Três Rios e
  • São José de Teresópolis,

Inicialmente instalamos no Hospital Santa Catarina e depois de um tempo em produção, o corporativo da rede decidiu que nosso produto deverá ser padrão em todos os 16 Hospitais. Gradativamente estamos implantando um a um.

tranformacaosantacatarinaUm fato relevante foi que a partir da primeira instalação, todas as outras foram acontecendo em conjunto do projeto Transformação, e o Voice é implantado junto com o Soul MV.

“Quando a gente começa a se apoiar em tecnologia, os saltos passam a ser exponenciais e a gente não está acostumado com isso na Saúde”,

comenta Vinícius Oliveira,

diretor corporativo de Operações da Associação Congregação de Santa Catarina

Nosso Gerenciamento de leitos é a ferramenta padrão que equipará todos os Hospitais da Congregação. E isso por proporcionar controles e gerenciamento dos processos de liberação de leito inexistentes nos Sistemas de Gestão Hospitalares.

 

Fontes:

HUMANIZAÇÃO , deve ser tratado como uma “PÉROLA”…Por ser extremamente dura, a pérola é muito resistente, e simboliza a força e a durabilidade.

ostrasfabricamperolasO termo atendimento humanizado se tornou, para algumas pessoas, espécie de clichê na área de saúde. Infelizmente, muito se fala mas pouco se prática.

Como reconhecer um serviço prestado de acordo com esses valores nas instituições de saúde?

Primeiramente, é importante entender o que significa ter um atendimento humanizado.

Quando um paciente entra pela porta da instituição, ele normalmente está (ou suspeita estar) com algum problema de saúde, certo?

Podemos inferir, portanto, que ele está frágil e inseguro. A forma com que ele é recebido, desde o primeiro contato com pessoal do atendimento, faz toda a diferença!

O Projeto de Humanização Hospitalar foi criado em maio de 2000 pelo Ministério da Saúde. O intuito era promover uma nova cultura de atendimento na saúde que apoiasse as melhorias na qualidade e eficiência dos serviços prestados.

Diretrizes do atendimento Humanizado

De acordo com o Ministério da Saúde, a humanização deve permanecer como uma diretriz transversal que favorece:

  • A troca e construção de saberes;
  • O diálogo entre profissionais;
  • O trabalho em equipe;
  • Consideração às necessidades;
  • Desejos e interesses dos diferentes protagonistas do campo da saúde.

De acordo com o Ministério da saúde, a humanização da assistência, é o aumento do grau de co-responsabilidade na produção de saúde e das mudanças na cultura da atenção aos pacientes e gestão dos processos de trabalho.

  • Memorabilidade (facilidade de ser lembrado pelo paciente);
  • Benefícios para todos os envolvidos, inclusive colaboradores;
  • Contribui para a eficácia do cuidado ao paciente;
  • Forte relação com a ética;
  • Fidelização, facilidade em ganhar a confiança do paciente.
O atendimento humanizado é lembrado
Com certeza você já ouviu falar, sobre:
“ _Eu gosto de ir a determinado hospital, porque lá, eu me sinto acolhido”.

Ingrid Schuch

Ingrid-SchuchConsultora e Especialista em apresentar diagnóstico e soluções para projetos de implantação da Hotelaria em Hospitais, com referência em Hospitais privados e Públicos de Porto Alegre e SP.

Atua como Docente na Faculdade Castelli – Canela, RS(na Graduação de Hotelaria e Hospitalidade). Coordenadora do Curso de Extensão de Hotelaria Hospitalar na Fundatec- POA, também atua como Docente na Universidade La Salle Business Scholl- Canoas, RS Curso de MBA Gestão em Saúde, na disciplina de Hotelaria e  Hospitalidade em Serviços de Saúde.

Robôs são realidade para atendimento nos Hospitais

Participamos da Hospitalar 2019 (maior feira do setor da América Latina). Ficamos no Stand temático da própria organização, o Facilities Innovation.

Levamos o Robô para demonstrar o potencial de absorvermos atividades nos Hospitais  possibilitando mais disponibilidade e eficiência em diversos processos atuais.

No vídeo a seguir o Professor Marcelo Boeger, explica um pouco sobre este espaço da Feira Hospitalar e um dos próprios Robôs (neste caso a Plug) falando um pouco de seu potencial na área de saúde:

No Stand a Plug, sabia informar sobre tudo que estava exposto, os visitantes poderiam perguntar sobre qualquer item ou solução, segue respondendo sobre Gerenciamento de leitos.

Saímos de Feira Hospitalar com solicitações de Hospitais de todo país. Cada projeto, exigirá  integrações e automações diferentes. Uma aplicação que foi solicitada por alguns e acreditamos que tem grande potencial, que é fazer o “checkin” para procedimentos agendados. Muito parecido com o papel o qual estes Robos já estão praticando nos Hotéis (de Concierge). No vídeo a seguir temos uma reportagem do Jornal da Cultura que mostra um destes em ação:

Double-1Durante a feira, levamos um segundo Robô, o Double.

Que permite o controle remoto de todas suas funções: andar, virar, filmar e transmitir. Com ele é possível efetuar uma telepresença. Queremos usá-lo para aumentar o acompanhamento dos médicos aos pacientes, aumentando as oportunidades de interação e não limitando apenas aos momentos de presença física.

Outra utilidade que vislumbramos é o uso deste para possibilitar uma telepresença dos familiares em unidades de isolamento. Através de qualquer interface web, é possível comandar o Double e navegar. Demonstramos durante a feira o uso dele, e visitamos os stands vizinhos e comandamos passeios deste Robô a distância.

Atenção até das Televisões:

img_20190525_122912_621398313180114705665.jpg

A participação da Plug foi um dos destaques do Facilities Innovation, durante a feira alguns veículos de mídia tradicional se interessaram . Dentre eles recebemos equipes das Televisões Record e Globo.

Ao lado temos um dos sócios da Voice, Marcius Wada  concedendo uma entrevista para TV Globo. Durante a matéria gravada a Plug obedeceu comandos, respondeu informações e ajudou nos deslocamento do Stand.

Nas mídias sociais

Muita gente pedia uma foto com a Plug. No instagram vimos diversas fotos da Plug. A própria organização da feira publicou o seguinte post:

Participação da Plug no Congresso

A Pulg também participou do Congresso de facilities, no vídeo a seguir temos ela demonstrando suas habilidades em dança:

Outros links sobre a participação da Plug:

Galeria de Fotos

 

Este slideshow necessita de JavaScript.

Sobre a Hospitalar

Hotelaria Hospitalar! E se os Hospitais fossem classificados por estrelas ?

E se os Hospitais fossem classificados por estrelas ?

img-20190528-wa00031884207156972063448.jpg

Artigo de Renata Baleotti
Em meu texto anterior eu falei sobre o quanto eu considero que a Hotelaria Hospitalar é possível para todos. Hoje venho novamente reforçar a ideia que na qual acredito muito.
Há alguns anos o Ministério do Turismo desenvolveu o SBClass, um Sistema Brasileiro de Classificação de Meios de Hospedagem. Hoje está suspenso para novas classificações. Porém a lista de estabelecimentos classificados estará vigente até a data de validade dos certificados.
Esse sistema foi criado para aumentar a competitividade, organizar o setor e estabelecer um padrão nos serviços de hospedagem.
A classificação é baseada em requisitos mínimos de infraestrutura, serviços e sustentabilidade . Meios de hospedagem mais simples com  classificação duas estrelas podem, por exemplo, proporcionar experiências excelentes aos seus hóspedes. Por que não? Depende muito dos gestores.
A hotelaria convencional é um tipo de serviço com relação comercial, sim. Porém a hotelaria adaptada em hospitais não precisa necessariamente se basear nesse cenário de competitividade e, excluir de forma não intencional hospitais públicos dessa realidade que só traz vantagens para as instituições, se for bem gerida, claro.
Sabemos que investimentos em tecnologia e infraestrutura trazem retornos muito importantes para os hospitais. Mas há outros caminhos que podem ser seguidos. Afinal há simplicidade e sucesso na hotelaria convencional.
Gostaria de encorajar hospitais a implantar a hotelaria. Oferecer o mínimo de serviços porém  humanizados fazem uma diferença enorme na experiência do cliente.
A criação de um setor de Hotelaria melhora processos e fluxos, reduz custos, otimiza o setor assistencial e ainda proporciona bem-estar, conforto e segurança. Investir em mudanças na cultura organizacional da instituição gera  benefícios por menores que sejam.
E toda melhoria na área da saúde quem sempre ganha é o ser humano. Por que não podemos usufruir de hospitais públicos melhores?
Por que a Hotelaria só tem que ser implantada em hospitais onde há mercado competitivo?
Acredito muito na Hotelaria em hospitais públicos. Só depende de atitude e gestão. A rede pública pode e deve buscar boas soluções em hotelaria para oferecer um sistema de saúde melhor ao usuário.

Sobre Renata Baleotti

Renata BaleottiRenata é especialista em Hotelaria Hospitalar,

Interessada em Humanização hospitalar, realizou trabalhos em Hospitais públicos e privados.

Formada em Hotelaria e Turismo na UNAERP.

Trabalhou em grandes Hospitais como a Santa Casa de Sertãozinho e o Hospital CopaD’or (Rio de Janeiro).

Acredito que seja interessante para inspirar gestores. Mostrar que a humanização dentro de hospitais é possível. E que não precisa de grandes investimentos. Pra Humanizar, basta SER humano.

Renata Baleotti

Textos relacionados: