Hospital Moinhos de Vento lançou cinco cursos gratuitos de capacitação e aperfeiçoamento profissional

moinhosead.jpegPráticas de Excelência em Serviço de Saúde

Em parceria com a Anvisa, o Hospital Moinhos de Vento lançou cinco cursos de capacitação e aperfeiçoamento profissional abordando as diretrizes e ações que devem orientar as práticas de excelência para o funcionamento dos serviços de saúde.

Entre os temas estão: Controle e Prevenção de Infecções , Inspeção em Instituições para Idosos, Segurança do Paciente e Gerenciamento de Resíduos.

As aulas são online, autoinstrucionais e gratuitas.

Acesse os cursos na plataforma de Educação a Distância do Hospital Moinhos de Vento:  http://edx.hospitalmoinhos.org.br/

1º Congresso da Sociedade Brasileira para a Qualidade do Cuidado e Segurança do Paciente acontecerá nos dias 5, 6 e 7 de junho de 2019, no Rio de Janeiro.

 

 

MARQUE NA SUA AGENDA! 

5, 6 E 7 DE JUNHO DE 2019 – WINDSOR OCEÂNICO – RIO DE JANEIRO

Inscreva-se !

A fundação da Sociedade Brasileira para a Qualidade do Cuidado e Segurança do Paciente (SOBRASP) em dezembro de 2017 teve como objetivo maior congregar e representar profissionais de saúde ou não, e gestores de diferentes áreas de atuação na saúde interessados na qualidade do cuidado e na segurança do paciente.

Também pretende-se dialogar com pacientes e familiares com foco em melhorar sua experiência no cuidado. Intenciona-se desenvolver interfaces com os órgãos vinculados à Justiça e à comunicação de massa em torno de abordagens não punitivas e sistêmicas, facilitando assim a aprendizagem e a introdução de melhorias a partir da ocorrência de eventos adversos. A atuação da Sociedade estará muito focada na disseminação de boas práticas de cuidado de saúde e no compartilhamento de experiências, somando-se assim ao esforço coletivo de desenvolvimento da segurança do paciente no sistema de saúde.

A realização do Congresso será uma expressão muito importante e concreta desses objetivos da SOBRASP. Realizaremos o Congresso dois anos após a criação do Movimento pela Segurança do Paciente (MOSP), precursor da Sociedade, que mobilizou e agregou centenas de especialistas, profissionais, pesquisadores e gestores para juntos contribuírem para tornar a Segurança do Paciente um direito básico de saúde.Esse sonho irá tornar-se realidade:

1º Congresso da Sociedade Brasileira para a Qualidade do Cuidado e Segurança do Paciente acontecerá nos dias 5, 6 e 7 de junho de 2019, no Rio de Janeiro.

 

Faremos um Congresso marcado pelas ideias-força de excelência e compartilhamento. Aprenderemos muito com a proficiência dos palestrantes nacionais e internacionais, e com a intensidade e riqueza da participação dos congressistas. As Comissões Científica e Organizadora estão compostas por parte das lideranças reconhecidas na área, seja na pesquisa, na gestão, no ensino ou na divulgação de evidências científicas. A dinâmica do Congresso combinará a difusão do conhecimento de ponta e o intercâmbio de experiências entre os profissionais e as instituições de saúde brasileiras no campo da Qualidade do Cuidado e da Segurança do Paciente. Para tanto, serão convidados expoentes internacionais e as principais lideranças nacionais nas temáticas do Congresso e destinaremos tempo e espaço para que os profissionais da linha da frente do cuidado possam expor e discutir os métodos empregados e os resultados de suas iniciativas.

Victor Grabois 
Presidente do 1º Congresso da Sociedade Brasileira para a Qualidade do Cuidado e Segurança do Paciente

1º Congresso da Sociedade Brasileira para a Qualidade do Cuidado e Segurança do Paciente terá como tema central – a Segurança do Paciente como direito: reduzir riscos com a contribuição de todos.
As trilhas do Congresso serão:
  1. Segurança do paciente como política pública de saúde;
  2. Soluções e inovações para a qualidade do cuidado e segurança do paciente no sistema de saúde;
  3. Cuidado centrado nas pessoas: engajamento dos pacientes, familiares e comunidade;
  4. Cultura de segurança do paciente nos serviços de saúde e na sociedade;
  5. Educação e pesquisa para a qualidade do cuidado e segurança do paciente.

As atividades propostas para o Congresso incluem conferências magnas, mesas redondas, painéis, rodas de conversas, oficinas interativas e workshops.

Participação multiprofissional: médicos, enfermeiros, farmacêuticos, fisioterapeutas, nutricionistas, odontólogos, psicólogos, assistentes sociais, administradores, engenheiros clínicos e hospitalares, e gestores de saúde em todos os níveis e pontos de atenção.

Também outros profissionais interessados no assunto serão bem-vindos, tais como os que são vinculados ao Ministério Público e Judiciário, assim profissionais da imprensa e/ou que atuam na geração de conteúdos para a internet.

As representações de pacientes e do controle social certamente estarão presentes no nosso Congresso, trazendo experiências significativas para um cuidado mais centrado nas pessoas. O debate visando a geração de inovações voltadas à Segurança do Paciente com a indústria de equipamentos, sistemas, medicamentos e insumos também terá um lugar de destaque.

Local reservado, o Hotel Windsor Oceânico, na Barra da Tijuca, no Rio de Janeiro, no período de 5 a 7 de junho de 2019. O hotel tem capacidade para receber mais de 1000 participantes, ampla área para os expositores e infraestrutura: estacionamento, restaurante no hotel e proximidade com vários shoppings, possibilidade de hospedagem no próprio hotel, a preços muito convidativos, ou na rede hoteleira próxima, e fácil acesso ao metrô (linha 4). As atividades sociais programadas proporcionarão, aos participantes, momentos de descontração e confraternização.

 

 


convidados.png

Fonte:

http://www.sobrasp2019.com.br/ em 16 de fevereiro de 2019

 

 

Segurança do paciente na Gestão Hospitalar foi o tema do VII Encad de Saúde do CRA-RJ

O VII Encontro de Administração em Saúde do CRA-RJ abordou o tema

“A contribuição da Administração na área de saúde para os processos de Segurança do Paciente”.

Organizado pela Comissão Especial de Administração de Serviços em Saúde do Conselho, o evento contou com a participação das Administradoras Maria de Fatima Ribeiro dos Santos, coordenadora da comissão, Rita de Cassia Garcia, coordenadora adjunta, e do Prof. Leonardo Justin Carap.

O assunto central foi dividido em quatro palestras:

“A Segurança do paciente e os aspectos relevantes para a assistência segura e a garantia da qualidade no cuidado”,

com Bárbara do Nascimento Caldas, do Instituto Nacional de Cardiologia;

“A gestão do ambiente e dos processos de hotelaria hospitalar na segurança do paciente”, com a Adm. Flavia Fávero, presidente da Sociedade de Hotelaria Hospitalar do Estado do Rio de Janeiro;

“A importância do Plano de Segurança do Paciente”, abordado pela Adm. Rosilene Aparecida dos Santos, do Hospital Federal de Ipanema;  e

“O papel do gestor para a garantia do sucesso do Plano de Segurança do paciente”, trabalhado por Victor Grabois, presidente da Sociedade Brasileira para a Qualidade do Cuidado e Segurança do Paciente.

Depois das apresentações, os palestrantes participaram de uma mesa redonda, onde responderam perguntas do público presente sobre os assuntos abordados. Sobretudo, o evento deixou clara a necessidade de se inserir o Profissional da Administração na Gestão Hospitalar para que os serviços prestados se tornem mais eficientes, tanto para as unidades de saúde, quanto para os pacientes/clientes.

O Encontro teve transmissão ao vivo e em breve estará disponível na CRA-RJ Play e na Rádio ADM RJ.

Confira algumas das declarações feitas durante as explanações de cada assunto.

Antes que ocorra um incidente, a gente tem a circunstância notificável […]. Por exemplo, você vai olhar um carrinho, faz alguma conferência nele e vê que a roda está quebrada ou que o ambu [reanimador] não está funcionando. Naquele momento, não aconteceu nada, mas e se estivesse acontecido uma parada [cardíaca], você teria um problema com aquele equipamento. Essas circunstâncias também podem disparar processos de melhorias, para ajustarmos os nossos sistemas de barreiras”, Bárbara do Nascimento Caldas.

 

 

Uma outra área importantíssima na Hotelaria Hospitalar é a questão da higiene. […] Na higiene hospitalar, precisa haver um procedimento operacional padrão, rotina, cronograma, treinamento? Sim. Mas de que adianta ter processo, rotina definida e não ter acompanhamento? O profissional de higiene precisa ser acompanhado. Ele está treinado, mas, na ponta, será que ele consegue aplicar a técnica na limpeza terminal? A gente precisa ter alguém para monitorar essa atividade”, Adm. Flavia Fávero.

 

“A perspectiva do olhar do Administrador é muito em função da nossa formação. Então, dentro da atividade do profissional da Administração, a gente está sempre preocupada com planejamento, definição de objetivos, metas, etapas, ações; nós nos preocupamos com organização de processos, materiais, meios, instrumentos. Temos um olhar sempre voltado para resultados que tenham um nível de qualidade aceitável e que sobretudo maximize a satisfação de pacientes, profissionais de saúde e da própria instituição”, Adm. Rosilene Aparecida dos Santos.

 

 

“Eu acredito muito na profissionalização da Gestão Hospitalar. E crer nisso, para mim, tem uma decorrência muito prática, que é um nível de valorização e investimento na figura do Administrador em Saúde muito superior ao que a gente possui hoje. Eu acho que o Profissional da Administração tem um papel verdadeiramente estratégico, do ponto de vista do funcionamento das instituições de saúde e tem conhecimentos que os outros profissionais não têm, e que fazem falta nesse amadorismo reinante”, Victor Grabois.

Evento organizado pelo:

Fonte:

https://www.cra-rj.adm.br/seguranca-do-paciente-na-gestao-hospitalar-e-tema-do-vii-encad-de-saude-do-cra-rj/ em 30 de Novembro de 2018

 

Melhores Hospitais do Brasil

O site Bidu fez um excelente artigo onde apontou os melhores Hospitais do País. Este foi baseado em

  • indicadores públicos da ANS,
  • site JCI e
  • Revista AméricaEconomía/ranking 2017,

o artigo monta uma tabela com os melhores segundo estes indicadores. (link do artigo original no fim deste post, em fontes)

Temos muito orgulho de nos depararmos com a lista e verificarmos que os grandes destaques são nossos cliente. Acreditamos que nossas soluções ajudam todos eles em eficiência, produtividade e garantia de processos mais efetivos.

São destaques do estudo artigo os seguintes Hospitais:

O artigo aponta diversas fontes que podem ser consultadas na hora de saber quais são os hospitais brasileiros considerados como referência. As acreditações e certificações são instrumentos que contribuem para a proteção do consumidor. Por isso, elas podem ser um diferencial para seu bem-estar e tranquilidade.

Três das mais importantes entidades em de qualidade que foram apontadas pelo artigo. Elas avaliam os estabelecimentos em quesitos alinhados à práticas como segurança do paciente, humanização, tecnologia, eficiência, entre outros.

Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) divulga uma relação de hospitais que atendem os critérios de qualidade importantes na assistência prestada à população.

Acreditação também foi um dos pontos considerados no artigo. É apontado estabelecimentos que possuem certificação máxima de qualidade emitida por instituições acreditadoras de serviços de saúde. A acreditação é realizada a cada dois ou três anos e mede a qualidade da assistência através de um conjunto de padrões relacionados ao serviço prestado da instituição como um todo. Os estabelecimentos que participam dessa avaliação fazem isso de forma voluntária.

Veja aqui a relação completa dos hospitais com acreditação máxima.

Foi considerado também Índice de readmissão hospitalar,  este indicador mede a capacidade do prestador em promover a recuperação dos pacientes de forma eficaz. Esse é um parâmetro comumente usados para a qualidade assistencial. Espera-se que o hospital promova melhorias para prover o cuidado efetivo ao paciente, dentro do menor tempo possível.

Aqui são avaliados quesitos como o gerenciamento do quadro clínico dos pacientes, o planejamento de alta,  a capacitação da equipe do hospital e fluxos e protocolos de atendimento.

Acompanhe aqui a relação completa de hospitais que atenderam a taxa de readmissão hospitalar.

O Indicador de Segurança do paciente, foi um dos utilizados pelo artigo para escolher os melhores hospitais do Brasil.  O motivo é a premissa de estimular a melhoria contínua dos processos de cuidado e do uso seguro de tecnologias da saúde.

O hospitais relacionados estão em acordo com a Resolução nº 36/2013 da Anvisa, que determina que todos os serviços de saúde devem constituir núcleos de segurança do paciente. Confira a lista completa de hospitais com núcleo de segurança do paciente cadastrado na Anvisa.

Todos os anos, a revista América Economía publica um ranking que reúne os melhores hospitais da América Latina. São considerados critérios que medem os esforços em relação ao melhor atendimento clínico e à percepção dos pacientes.

Pode participar do ranking qualquer hospital ou clínica de alta complexidade – entre públicas, privadas ou universitárias. Para participar, os hospitais devem fornecer múltiplos serviços em uma ampla gama de especialidades médicas.

A revista convida, em média, 200 entidades de países como Argentina, Brasil, Colômbia, Costa Rica, Chile, Cuba, Equador, México, Panamá, Peru, Uruguai e Venezuela.

São consideradas no ranking as entidades que conseguiram obter um valor superior a 50 pontos no indicador final. Em 2017, 49 hospitais entraram na lista e dentre eles, 11 são brasileiros.

A pesquisa se baseia em um questionário. Ele reúne dados-chave que tratam de seis dimensões da qualidade do hospital:

  • Segurança e Dignidade do Paciente: são avaliados os indicadores de processos e resultados que permitem minimizar os riscos do hospital;
  • Capital Humano: análise da equipe médica, da enfermagem e da direção do hospital;
  • Capacidade: indicadores do número de altas, leitos, especialidades e subespecialidades médicas, exames laboratoriais, cirurgias, entre outros. Aqui também são considerados os investimentos;
  • Gestão do conhecimento: mede a capacidade de gerar, obter e disseminar a vanguarda do conhecimento médico na entidade;
  • Eficiência: são analisadas variáveis como taxas de ocupação de leitos ou salas de operação; as finanças (balanços e demonstrações de resultado) e os mecanismos de gestão da qualidade.
  • Prestígio: medido por meio de pesquisas junto à classe médica e aos leitores da publicação.

A relação completa do ranking organizado pela revista pode ser conferida aqui.

Uma outra referência que mede a qualidade dos serviços prestados pelos hospitais é concedida pelo órgão americano Joint Commission International (JCI). O órgão é líder mundial em certificação de organizações de saúde e, no Brasil, é representado pelo Consórcio Brasileiro de Acreditação (CBA).

Os padrões da acreditação avaliam critérios de qualidade e de segurança tais como:

  • Atendimento
  • Gestão
  • Infraestrutura
  • Qualificação profissional

Por meio de visitas, entrevistas e análises de documentos, os avaliadores checam mais de 1.300 itens. A certificação pode ser solicitada por instituições públicas, privadas e centros médicos acadêmicos e, em média, a adaptação às exigências leva dois anos.

Veja a relação completa de estabelecimentos acreditados pelo JCI .

Fontes:

https://www.bidu.com.br/blog/melhores-hospitais-do-brasil/ em 10 de Setembro de 2018

Como foi o Café da Manhã IBHE – Retenção e Engajamento para a causa do cliente: Jornada do Colaborador e papel da Liderança

Norberto Maver e Claudio Shidomi

Os Sócios da Voice,

prestigiaram o Café da Manhã IBHE: Retenção e Engajamento para a causa do cliente: Jornada do Colaborador e papel da Liderança.

Segundo Cláudio:

o Evento enfatizou as formas de gestão e valorização dos funcionários no que tange a diminuir o turn over e incentivar os talentos internos à companhia, minizando custos com novas contratações e valorizando os talentos internos.

Cláudio Shidomi

 

 

Os Assuntos abordados foram: 

  • Como as equipes de atendimento estão estruturadas e quais são os líderes que fazem parte?
  • Atendimento próprio ou terceirizado?
  • Qual é a jornada do colaborador quando ele entra na Empresa?
  • Como é preparado para atuar na sua função?
  • Existe uma “trilha” definida para seguir?
  • Como o engajamento da liderança é trabalhado para que suas equipes tragam os resultados esperados e cuidem da causa do cliente?
  • Que tipo de ações ou campanhas são realizadas para “ajudar” na motivação do time?
  • De que forma é feito o reconhecimento? Existe algum tipo de avaliação para ver o que é importante e atrativo para o colaborador como mérito?
  • O resultado destas ações motivacionais reflete em aumento da satisfação do cliente?
  • Quais os indicadores que são utilizados para medir o resultado destas iniciativas junto à Equipe
  • Alguns exemplos de campanhas ou ações realizadas.

O Evento teve as seguintes palestrantes:

 

Image

Tatiane Canero

Gerente Apoio Assistencial e Fluxo do Paciente
(H. I. A. Einstein)

 

 

Image

Daniela Dionisio

Gerente de Qualidade e Desenvolvimento
(Porto Seguro)

 

Um dos pontos os quais Tatiane falou, foi sobre a “Identidade de Atendimento Einstein” onde um dos pilares é Segurança.

A segurança é uma prioridade, um valor institucional.

A vida e a saúde das pessoas , pacientes, familiares e colaboradores são nossa prioridade. O ambiente, os processos e as atitudes devem oferecer condições seguras para todos, prevenindo acidentes e incidentes de qualquer natureza.

Tatiane Canero

barreiras

Componentes de Segurança:

  • Possuo consciência situacional e tenho percepção de risco ?
  • Sou qualificado e capacitado profissionalmente?
  • Escuto a voz do paciente, família, colega?
  • Valorizo a transparência e o aprendizado com o erro? nenhum erro é tão grande que não possa ser corrigido.
  • Mantenho a confidencialidade das informações do paciente sob minha responsabilidade

Tatiane, destacou que para a “Experiência do Paciente Einstein” diversos itens e ações são relevantes:

  • treinamentoRelevância institucional,
  • Necessidade de criação de visão única,
  • Compartilhamento de idéias,
  • Estabelecimento de interfaces e níveis de serviços entre áreas,
  • Coordenação das atividades,
  • Envolvimento do staff operacional,
  • Acompanhamento periódico,
  • Indicadores e Metas comuns,
  • Desenvolvimento de novas lideranças,

apoio-assistencial.jpg

engajamentoFalou sobre o Engajamento dos colaboradores:

  • SPA presente no dia a dia,
  • Política de reconhecimento e meritocracia,
  • Criação de prêmio Einstein para todos os colaboradores,
  • Prêmio Daisy para os profissionais de enfermagem,

 

 

Este slideshow necessita de JavaScript.